Técnico do Boca pede mudança em regra que puniu Gallardo na Libertadores 2018
capa

Técnico do Boca pede mudança em regra que puniu Gallardo na Libertadores 2018

Gustavo Alfaro afirmou que teria tomado mesma atitude de Marcelo Gallardo na Arena

publicidade

A Conmebol realizou nessa terça-feira em sua sede, no Paraguai, um congresso com os técnicos dos clubes que disputam a Libertadores da América de 2019. Durante o evento, os profissionais puderam fazer sugestões de mudanças no regulamento da competição. Chamou atenção um pedido do treinador do Boca Juniors, Gustavo Alfaro, relacionado ao polêmico caso envolvendo Marcelo Gallardo, do rival River Plate, na semifinal contra o Grêmio no ano passado.

Alfaro, que não comandou nenhum clube na Libertadores de 2018, pediu para que a Conmebol altera a forma de punição aos técnicos. Ele sugeriu que um treinador suspenso seja apenas impedido de ficar na casamatao, mas que possa conversar com seus jogadores no vestiário antes e no intervalo das partidas.

“Peço que nos deixem trabalhar como corresponde. Eu teria feito o mesmo que o Gallardo (de ir ao vestiário) o ano passado porque essa punição vai contra o trabalho dos treinadores. Que ao menos possamos ir ao vestiário. As sanções devem ser razoáveis e não impedir o trabalho dos técnicos”, defendeu Alfaro.

O Grêmio chegou a pedir os pontos da partida contra o River Plate no ano passado pela atitude de Marcelo Gallardo, mas não obteve sucesso. A Conmebol acabou aplicando apenas uma multa ao River ampliou a suspensão do treinador para quatro jogos.

 

Confira outros pedidos feitos pelos treinadores:

 

- Que seja definido um tempo de validade nas suspensões para jogadores que deixam o futebol sul-americano (feita também por Gustafo Alfaro)

 

- Que jogadores de clubes eliminados na fase preliminar possam defender outras equipes na mesma edição da Libertadores (Gustavo Alfaro)

 

- Padronização dos gramados da Libertadores (Jorge Almirón, técnico do San Lorenzo)

 

- Calendário da Conmebol  feito em conjunto com as confederações nacionais (Daniel Garnero, técnico do Olimpia)

 

- Punições mais duras para os clubes em caso de atos de discriminação, como racismo, por parte de torcedores (Miguel Ángel Portugal, técnico do Jorge Wilstermann)

 

- Flexibilização da Conmebol nas punições por atrasos dos clubes em jogos como visitante (Miguel Ángel Russo, técnico do Alianza Lima)