capa

Polifonia paulistana de Ruffato em Canela

Por

publicidade

LUIZRUFFATO_Foto Marcia Zoet

 

Debate sobre Eles Eram Muitos Cavalos, de Luiz Ruffato, no Clube do Livro será nesta quinta, 25, 19h30, no Espaço 273

 

Por Luiz Gonzaga Lopes

 

Nesta quinta, dia 25 de maio, às 19h30min, no Espaço 273 (Tenente Manoel Corrêa, 273), em Canela, o Clube do Livro de Canela realiza o debate sobre o livro Eles Eram Muitos Cavalos, publicado em 2001 e que já chega a 14 edições no país (atualmente editado pela Companhia das Letras) e publicação em nove países. A obra polifônica urbana paulistana, que se passa em São Paulo num único dia, 9 de maio de 2000, é uma aula e um exercício contínuo de estilo para contar histórias cruas, solidárias, sensíveis, dramáticas, de amor e morte de uma grande metrópole. Pelo livro que será debatido, Ruffato ganhou o o Troféu APCA, oferecido pela Associação Paulista de Críticos de Arte, e o Prêmio Machado de Assis da Fundação Biblioteca Nacional, em 2001. A mediação do debate sobre o livro do mês será feita pelo jornalista Luiz Gonzaga Lopes, do Correio do Povo. Com previsão de público máximo de 50 pessoas do círculo literário regional e apoio da Vento Sul Turismo, Pousada Encantos da Terra e Livraria Aroma Literário, o evento será uma oportunidade de discussão sobre a bela narrativa sobre as múltiplas vozes e vivências desta cidade pensada e descrita pelo autor. O livro está à venda na Fundação Cultural de Canela, por R$27,00.

 

Nascido em Cataguases (MG), em 1961, é filho de um pipoqueiro e de uma lavadeira. Formou-se em tornearia-mecânica pelo Senai e trabalhou como operário da indústria têxtil, pipoqueiro e atendente de armarinho quando jovem. Graduou-se em Comunicação pela Universidade Federal de Juiz de Fora e atuou em diversos jornais até se mudar para São Paulo em 1990. Em 2003 abandonou o jornalismo para se tornar escritor em tempo integral. Escreveu nove romances, três livros de poesia, e outros de literatura Infantil, Crônica e muitas coletâneas. Foi traduzido para cinco idiomas e recebeu inúmeros prêmios nacionais e internacionais. Além dos prêmios por Eles Eram Outros Cavalos, Ruffato recebeu outros quatro prêmios, entre eles o Jabuti infantil de 2015 e o internacional Hermann Hesse de 2016.

eles eram muitos cavalos_companhia das letras

O Clube do Livro de Canela já promoveu a leitura de 60 livros em cinco anos e meio. Os cerca de 35 membros ativos do clube, no qual cerca de 200 pessoas já participaram, encontram-se mensalmente para discutirem a leitura do mês. Entre clássicos, novidades e descobertas, os debates já contaram com a presença de autores, professores, críticos, jornalistas; aconteceram em livrarias, escolas e bibliotecas; e houve interações com cinema, teatro, teatro de bonecos, gastrnomia e música. O Clube do Livro de Canela já inspirou outros três clubes, sendo um deles em Novo Hamburgo e outro no Paraná. O blog Livros A+ faz uma pequena entrevista com Ruffato sobre o livro que será debatido nesta quinta, em Canela:

 

Livros A+ - Por que achas que o livro Eles Eram Muitos Cavalos foi tão bem-sucedido nestes seus 16 anos de existência?
Luiz Ruffato - Sinceramente, não sei. É um livro considerado "difícil" e que já tem 14 edições no Brasil e está publicado em nove países... Já foi adaptado para o teatro por três companhias diferentes (e uma quarta adaptação ocorrerá no ano que vem)... Já tem mais de 30 dissertações de mestrado e teses de doutoramento no Brasil e no exterior... Vende praticamente uma edição por ano... Mas não sou a pessoa indicada para responder a esta pergunta... Sinceramente, não sei...

 

Livros A+ - O que te moveu à escrita deste livro?
Luiz Ruffato - Na verdade, Eles eram muitos cavalos foi para mim um caderno de exercícios formais para compreender como poderia escrever uma outra obra, Inferno provisório. Nele, experimento as mais diversas formas de narrar, criando um catálogo de possibilidades de ficcionalizar a realidade... Quando terminei, me senti pronto para começar o Inferno provisório, que, publicado em cinco volumes, entre 2005 e 2011, foi finalmente reeditado em volume único em 2016.

 

Livros A+ - Quais das histórias foram mais caras a ti em sua tessitura?
Luiz Ruffato - Todas foram igualmente caras a mim...

 

Livros A+ - O que este livro representa na tua carreira?
Luiz Ruffato - Eles eram muitos cavalos representa a visibilidade da minha obra. Este livro é que abre as portas para mim aqui no Brasil e no exterior. Ainda hoje...