"Todos o amam, todos o querem"
capa

"Todos o amam, todos o querem"

Por

publicidade



Cronistas lançam livro-homenagem a Antônio Maria no dia do seu cinquentenário de morte

Inspiradas na obra de um dos mestres do gênero no Brasil, as crônicas de Maria volta ao bar foram escritas em oficina literária na Cidade Baixa, ministrada pelo escritor Rubem Penz

Os anos dourados do Leblon-Ipanema da década de 1950 foram revividos no movimentado bar Apolinário, localizado na Cidade Baixa, bairro de intensa vida noturna e reduto de artistas e boêmios porto-alegrenses. Onze cronistas reuniram-se semanalmente durante seis meses para escrever crônicas inspiradas na obra de Antônio Maria, um dos mestres do gênero ao lado de Rubem Braga, Paulo Mendes Campos, Nelson Rodrigues. O resultado da boemia literária está reunido no livro Maria volta ao bar (Buqui), que será lançado nesta quarta, 15 de outubro, no próprio Bar Apolinário (José do Patrocínio, 527), na data que lembra os 50 anos da morte de Antônio Maria Araújo de Morais.


Além de recuperar o nome de um dos mais talentosos cronistas brasileiros, a oficina literária também conseguiu recuperar o clima de amizade vivido pelos cronistas daquela época. As crônicas eram feitas na mesa do bar, entre chopes, petiscos, conversas e muito bom humor, proporcionando um ambiente favorável a criatividade e a literatura. “A oficina pretendeu ir além da produção textual. Foi um momento para passarmos a limpo a vida, a semana, as alegrias e aflições. Para criarmos vínculos que transitassem para além da ortografia ou da gramática”, afirma o escritor Rubem Penz, criador da oficina, que vem do projeto Santa Sede – Crônicas de Botequim, organizado por ele desde 2010 e que já conta com cinco coletâneas publicadas. Além da publicação de uma antologia, o projeto também contou com o blog www.mariavoltaoabar.wordpress.com, onde há um aperitivo do que será encontrado no livro.



Segundo Penz, a lembrança do cinquentenário é a oportunidade ideal para glorificar sua memória. “Mais do que criar crônicas homenageando Antônio Maria, quis incitar os cronistas a mergulharem em seu universo, sua obra, sua vida, criando reflexões sobre nosso tempo em consonância com a sensibilidade mariana”. Além das crônicas, a oficina também buscou recuperar uma das especialidades de Antônio Maria: o pensamento rápido e bem humorado do autor através do “Pergunta pro Maria”, em que os cronistas respondiam a perguntas enviadas por amigos e leitores do blog.

Quem foi Antônio Maria

Antônio Maria Araújo de Morais nasceu em Pernambuco, em 1921, mudando para o Rio de Janeiro, no início da década de 1940. Como compositor, gravou mais de 60 canções, entre elas, o clássico “Ninguém me ama”. Como cronista, escreveu mais de 3 mil crônicas para publicações como “O Jornal”, “O Globo”, entre outros. Foi também Diretor Artístico da TV Tupi e roteirista de programas de humor. Faleceu aos 43 anos, em 15 de outubro de 1964, vítima de um enfarto do miocárdio.

 

Serviço:

O que: Lançamento do livro Maria volta ao bar

Quando: 15 de outubro de 2014, a partir das 20h

Onde: Bar Apolinário – Porto Alegre (Rua José do Patrocínio, 527)

Mais informações:

www.mariavoltaaobar.wordpress.com

http://mariavoltaaobar.wordpress.com/2014/09/19/no-bar-dos-marias/