O golpe dos nudes

O golpe dos nudes

publicidade

O elevado número de vítimas do golpe dos nudes pode, à luz da ciência, ser complexo. Tudo que envolve comportamento humano é. Mas nada que um punhado de golpistas sem qualquer diploma não saiba. “Homens! Como ainda conseguem cair nisso?”, você se pergunta. Numa sociedade construída por fortes bases machistas e patriarcais, não só aqui, mas em diversas culturas, não é incomum ver uma mulher jovem procurar, no homem mais velho, algo como segurança, uma mão que a conduza ou apenas alguém que se preocupe mais com ela do que com seu umbigo. Então, não há nenhuma aberração em homens mais velhos acreditarem que uma jovem está dando mole. E há o amor. Não esqueçamos do amor. Diversos casais com diferença de idade entre si, ela ou ele mais velhos, são muito felizes sim. Mesmo com os preconceitos. 

Claro. Vox populi, vox Dei. O povo sabe das coisas. Homens. Os responsáveis por mais de 90% dos homicídios no mundo. E eles morrem pela mão de desconhecidos, enquanto as mulheres são mortas por gente do seu convívio (eles, quase sempre). É onde surge a teoria da testosterona. A mola propulsora masculina para, por exemplo, a competição natural entre eles. Ela fala mais alto no caso dos nudes. A provocação, o súbito interesse, a conversa apimentada e, finalmente, a falsa intimidade nas fotos que a suposta jovem envia. Nua e louca pelo galã do lado de cá da tela. Ele desnorteia. Turbilhão em seu centro emocional. Desejos. Inconsequências. Aí, as coisas começam a fugir do controle. E, de repente, a promessa do prazer proibido vira pesadelo. Sem qualquer aula de psicologia, mas de mundo prático, os golpistas sabem disso. E dão o bote. “O que você faz quando ninguém te vê fazendo o que você queria fazer se ninguém pudesse te ver”, já diz a música do Capital Inicial.

Se é doença, vivemos numa pandemia comportamental faz tempo. Sem cura. O inexplicável de cada um que a natureza, e a cultura, do homem faz emergir sob qualquer estímulo. E a teoria da testosterona julga bem menos complexo que às mulheres. Sim, elas também caem em tentações e golpes, mas em escala bem menor. Dentre as vítimas dos nudes, tem gente com muita grana para ceder à extorsão, o que faz concluir que não é culpa da falta de acesso à educação (no conceito restrito de boas escolas, formação universitária etc). A tecnologia e as redes sociais permitem tantas máscaras, personagens e fantasias para moldar o “eu ideal” para os outros ou para aplicar golpes, que se tornam campo propício para agigantar males humanos. Então, cuidado. Só isso. Ligue o desconfiômetro, mesmo quando a libido grita. O golpe dos nudes é de hoje e da tecnologia. Mas homens caírem em armadilhas pela tentação do desejo, ou da violência, é tão antigo quanto a humanidade.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895