Todo dia é dia do policial

Todo dia é dia do policial

Oscar Bessi

publicidade

Dia 21 de abril teremos um feriado. Que alguns talvez nem entendam o porquê de sua existência. É dia de Tiradentes, mártir da Independência do Brasil. Joaquim José da Silva Xavier, dentista, minerador, comerciante e alferes da Companhia de Dragões de Minas Gerais, foi enforcado nesta data por seu envolvimento como um dos líderes da Inconfidência Mineira. Ele queria um país independente. E quando se fala em garantir a liberdade, precisamos falar também em organizar. E policiar. Podemos dizer que a Polícia, da forma como a compreendemos por sua missão e características institucionais, chegou ao Brasil em 1530 com Martin Afonso de Souza, com a missão de promover a justiça e organizar os serviços públicos. Ao longo dos séculos, nosso sistema policial sofreu reformulações, até chegarmos ao que temos hoje. O dia de Tiradentes ficou estabelecido como sendo o Dia das polícias Civil e Militar.

Acontece que todo dia é dia do policial civil e militar. Todo dia esses homens e mulheres estão por aí, nas ruas, nas estradas, nos campos, nas montanhas, nos sertões, nas praias, nos bairros chiques e nas favelas, encarando a sua missão de servir e proteger. Todo dia é dia de o policial se oferecer ao perigo. Todo dia, no Brasil, é dia de o policial tomar tiro, levar pedrada, tentar escapar de atropelamento proposital, desviar de facas dispostas a matar. Todo dia é dia de o policial brasileiro salvar uma criança, resgatar uma mulher vítima de violência, libertar um refém, proteger um idoso. Todo dia é dia de o policial garantir o direito de um cidadão que ele nem conhece. Todo dia é dia de policiais garantirem a igualdade, as liberdades, os limites que a civilidade exige, nem que para isto se necessite usar da ação mais antipática possível, como a restrição da liberdade de quem não respeita a liberdade do outro. Todo dia é dia de o policial, civil ou militar, ser amparado pelas orações de uma família que o espera sem qualquer certeza de que ele retornará. Todo dia é dia do policial. Porque, infelizmente, todo dia é dia de crime e de violência em nossa sociedade.

Todo dia, milhares de policiais sofrem com a pandemia. Com a falta de reconhecimento. Com as reviravoltas políticas que os descartam ou prejudicam e com as dificuldades de quem não escolheu ser parte dos jogos de poder ou estrela de ocasião. Todo dia, milhares de policiais anônimos encaram o front dos piores conflitos sociais sem esperar nada além de apenas cumprir sua missão. E se 21 de abril é um dia especial, para lembrarmos sobre lutas e o preço que se paga para ser livre, que se aproveite para estender um cumprimento especial a quem, mesmo com o sacrifício da própria vida, nos garante tudo isso todos os dias, em troca de quase nada.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895