Acordo confidencial de FIA e Ferrari gera reação forte de 7 rivais na F1
capa

Acordo confidencial de FIA e Ferrari gera reação forte de 7 rivais na F1

Times pedem explicações e repudiam segredo sobre potencial ilegalidade no motor da Scuderia em 2019

Por
Bernardo Bercht

Acordo da FIA sobre motor "misterioso" da Ferrari incendiou bastidores


publicidade

A Fórmula 1 pode enfrentar uma de suas maiores crises institucionais em 2020. Nesta quarta-feira, sete equipes divulgaram nota conjunta repudiando o "acordo confidencial" da Federação Internacional do Automóvel (FIA) com a Ferrari, sobre as alterações do time italiano que geraram um ganho de performance no ano passado.

McLaren, Mercedes, Racing Point, Red Bull, Renault, Alpha Tauri e Williams assinaram um documento oficial pedindo esclarecimentos. Ficaram de fora Alfa Romeo e Haas, que recebem motores da construtora italiana. "Nós ficamos surpresas e chocadas com a declaração da FIA na sexta-feira, 28 de fevereiro, relacionada à conclusão de sua investigação na Ferrari, escuderia da Fórmula 1", detalhou o documento. "Um órgão regulador esportivo internacional tem a responsabilidade de agir com os mais altos padrões de governança, integridade e transparência. Após meses de investigações realizadas pela FIA solicitadas por outras equipes, nos opomos fortemente ao acordo confidencial da FIA com a Ferrari para concluir esse assunto", diz o comunicado.

Em 2019, boa parte das equipes da F1 expressaram suspeitas sobre os propulsores usados pela  Ferrari. Depois da revelação que estavam sendo investigados, os carros italianos nitidamente perderam desempenho na arrancada final do campeonato.

Na semana passada, a FIA anunciou que fez um acordo com a Ferrari após "uma investigação técnica" sobre o "funcionamento do motor" e manteve os detalhes em segredo. Técnicos da entidade apreenderam um motor da empresa italiana e investigaram seu funcionamento. A suspeita era de que houvesse algumas irregularidades no sistema de medição de gasolina. A FIA, no entanto, não esclareceu se os técnicos encontraram ou não alguma irregularidade.

Com o esporte passando por um ano de transição de regras e o forte lobby para o uso de fontes renováveis no automobilismo, a mobilização dos times contra a equipe mais tradicional cria um cenário de instabilidade que não era visto desde os anos 70-80 com a guerra FISA-FOCA. Na ocasião, os times "garagistas" se levantaram contra os grandes fabricantes e a própria organização da Fórmula 1 por melhor tratamento nos acordos financeiros e, ainda, influência na criação de regras e determinação de logísticas das pistas.

Dois GPs foram afetados na época. Em 1980, o GP da África do Sul acabou sendo taxado de extra-campeonato após diversos times se recusarem a correr. Em 1982, San Marino teve apenas 14 carros, depois que  Brabham, Williams, McLaren, Lotus, Ensign, March, Fittipaldi, Ligier, Arrows e Theodore promoveram boicote ao GP. A solução foi o Acordo de Concórdia, que definiu uma distribuição de recursos mais justas e as bases para criação dos regulamentos de cada temporada.
 
Confira a íntegra do comunicado:

Nós, as equipes listadas abaixo, ficamos surpresas e chocadas com a declaração da FIA na sexta-feira, 28 de fevereiro, relacionada à conclusão de sua investigação na
Ferrari, escuderia de Fórmula 1. Um órgão regulador esportivo internacional tem a responsabilidade de agir com os mais altos padrões de governança, integridade e transparência.

Após meses de investigações realizadas pela FIA solicitadas por outras equipes, nos opomos fortemente ao acordo confidencial da FIA com a
Ferrari para concluir esse assunto.


Portanto, declaramos publicamente nosso compromisso compartilhado de buscar a divulgação completa e adequada sobre este assunto, para garantir que nosso esporte trate todos os concorrentes de maneira justa e igual. Fazemos isso em nome dos fãs, participantes e partes interessadas da Fórmula 1. Além disso, reservamos nossos direitos de buscar reparação legal, dentro do devido processo da FIA e perante os tribunais competentes. McLaren Racing Limited Mercedes-Benz Grand Prix Limited Racing Point UK Limited Red Bull Racing Limited Renault Sport Racing Limited Scuderia Alpha Tauri S.p.A. Williams Grand Prix Engineering Limited