Arthur Leist fecha temporada de vitórias na F4-US com luta em Austin
capa

Arthur Leist fecha temporada de vitórias na F4-US com luta em Austin

Piloto gaúcho foi candidato a título até sofrer com problemas de motor na reta final de 2019

Por
Bernardo Bercht

publicidade

O piloto gaúcho Arthur Leist terminou seu segundo ano de automobilismo com uma temporada promissora e, de certa forma, formadora de caráter nos Estados Unidos. Com duas vitórias na Fórmula 4 US e alguns pódios na bagagem, ele foi postulante ao título até o momento em que o equipamento da Kiwi Motorsports permitiu e finalizou em quinto no campeonato. "O nível desse ano foi mais alto que em 2018. Tinha dois companheiros rápidos, um deles o Joshua Car, campeão", lembrou Arthur. "Andávamos de igual para igual e dividimos a ponta nos treinos de pré-temporada. Não fosse o problema de equipamento, eu teria brigado pelo título", afirmou.

Mesmo com o "freio de mão puxado", metáfora para um motor abaixo da média dos concorrentes, o piloto de Novo Hamburgo ainda mostrou combatividade na derradeira corrida de 2019, em Austin. E uma boa dose de persistência. Na prova 1, caiu para 16º após literalmente voar numa chicane da grande ladeira do circuito. Recuperou-se com várias ultrapassagens e fechou em sexto.

Na corrida dois, o voo do dia anterior cobrou seu preço com um carro instável. Ainda assim, e com 3 km/h a menos de reta, Arthur fez duas boas ultrapassagens, evitou dois acidentes contra adversários que rodaram na sua frente quando sofriam pressão. Com isso, finalizou em 11º.

Arthur preferiu lembrar, como marco da temporada, outro fim de semana mais bem sucedido. "Meu melhor desempenho foi em Virginia. Curioso que ano passado foi meu pior resultado", citou. "Eu treinei e foquei naquela pista, sabendo que não ia ser fácil. No treino todo mundo queria vácuo e a gente fez a pole sem vácuo com vantagem de quatro décimos", narrou o piloto. "O carro estava muito bom, me encaixei bem na pista. Ganhei corrida, fiz pódio e um quarto lugar."

Depois disso, veio uma quebra de motor em Mid-Ohio e performance abaixo do necessário para desafiar Joshua Car e o compatriota Kiko Porto. Arthur fechou com um quinto lugar, ainda de olho no topo do automobilismo norte-americano. "Meu plano é seguir nos EUA, a carreira rumo à Indy. A ideia é fazer ou Fórmula 3, ou USF2000 no Road to Indy.