Bentley conquista o Mount Panorama e vence pela primeira vez as 12 Horas de Bathurst
capa

Bentley conquista o Mount Panorama e vence pela primeira vez as 12 Horas de Bathurst

Carro britânico teve de superar lutas acirradas com Mercedes, Porsche, McLaren e Nissan

Por
Correio do Povo

Grandalhão britânico tomou a ponta para não perder mais

publicidade

Depois de cinco tentativas, a britânica Bentley conseguiu. Neste domingo, na Austrália, o trio formado por Jules Gounon/Maxime Soulet/Jordan Pepper conquistou o Mount Panorama nas 12 Horas de Bathurst. Foi uma batalha acirrada que chegou a envolver oito carros na volta do líder antes da última hora de corrida. Mas apesar dos ataques das Mercedes SLS, da estreante McLarem 712 e dos Porsche, foi o sedanzão verde que cruzou a quadriculada preto e branca na frente.

Os furos de pneu acabaram tendo papel decisivo ao longo da disputa. Mesmo o vencedor sofreu um esvaziamento lento, mas por sorte Gounon levou o carro até os pits sem perder muito tempo. A Mercedes #999 de Rafaelle Marciello/Max Buhk/Felipe Fraga, teve menos sorte. O pneu esvaziou de vez, Marciello quase bateu e, na pressa de deixar os boxes, descumpriu a regra de desligar o motor durante a troca. Punidos, caíram de segundo lugar para sexto.

A McLaren, com isso, herdou o segundo posto, com o gigante do rally Tom Blomqvisto, o experiente português Alvaro Parente e Ben Barnicoat fazendo brava prova de recuperação após vários pequenos tropeços. O terceiro lugar ficou com a Mercedes #888 de Shane van Gisbergen/Jamie Whincup/Maximilian Goetz. Goetz, por sinal, levando muito crédito por segurar um carro com pneus totalmente desgastados na frente de concorrentes mais rápidos, o que fez toda a diferença na arrancada final.

Foi o suficiente para ficar à frente do Porsche #911, esse sim, uma história de o que poderia ter sido. Com melhor autonomia de combustível, o carro de Matt Campbell/Mathieu Jaminet/Patrick Pilet chegou a liderar com alguma folga, mas teve um furo de pneu ainda na subida da montanha, o que provocou enorme atraso. Acabaram no quarto lugar após uma escalada brutal em meio aos rivais.

Quem chegou a beliscar o pódio foi o Nissan GT-R #18 do brasileiro João Paulo de Oliveira, ao lado de Alexandre Imperatori e Edoardo Liberati. Era o carro mais beberrão de gasolina, mas o torque do turbo nas subidas ajudava a tocar o terros nos outros adversários, proporcionando belas ultrapassagens. A chance de levantar troféu, contudo, foi embora com uma falha nos freios. A longa troca derrubou o time para o 13º lugar.

Assista abaixo aos melhores momentos: