Hamilton vence duelo magistral com Verstappen e fatura o GP da Hungria
capa

Hamilton vence duelo magistral com Verstappen e fatura o GP da Hungria

Mercedes arriscou na tática e britânico fez funcionar para faturar o degrau mais alto do pódio

Lewis Hamilton celebra com a equipe a vitória no GP Hungaroring

publicidade

Lewis Hamilton deu aula com a Mercedes, de tática, habilidade, raça e administração e problemas. O britânico passou Max Verstappen a três voltas do fim, numa aposta arriscada da equipe alemã de fazer um pit-stop a mais. Além de tudo isso, guiou demais para manter ritmo de classificação até chegar no aerofólio de Verstappen e compensar um problema de freios para passar e vencer. Sebastian Vettel completou o pódio, numa Ferrari bem longe de competir com os dois ponteiros.

Um duelo para a história da Fórmula 1 marcou o GP da Hungria. Lewis Hamilton patrolou Valtteri Bottas na largada e foi à caça de Max Verstappen, numa luta que duraria boa parte da corrida, mostrando a maestria de cada um dos dois pilotos. Já para Bottas, a coadjuvância foi garantida, fritou duas vezes o pneu para tentar manter a outra Mercedes atrás, perdeu, e ainda foi atingido pela Ferrari de Charles Leclerc, danificando seu bico e obrigando uma parada não programada.

Quem foi perfeito na volta um foi o "jovem" Kimi Raikkonen. O quarentão da Alfa Romeo despachou Romain Grosjean e depois colocou por fora em cima de Pierre Gasly para assumir o oitavo lugar, que seria sétimo com a parada de Bottas. Daniel Ricciardo também teve um começo competitivo, passando muita gente depois de largar em último. Até seguro a Mercedes do finlandês por quase dez voltas para figurar entre os dez primeiros.

No primeiro stint, Verstappen ficou claramente sem pneus antes de Hamilton. Antecipou os pit-stops e tirou a chance da Mercedes fazer o "undercut". Só que o britânico se manteve na pista para garantir borracha bem mais nova na segunda parte da corrida.

Com pneus cinco voltas mais novos, Hamilton voltou armado até os dentes para batalhar com o rival holandês. Na volta 43, quase conseguiu. Foi com tudo para cima, tentou dar um xis na curva 1 e a dupla foi dividindo curvas até chegar na rápida e fechada curva 6. Tentou por fora, seria magistral, mas o carro não segurou e escapou da pista, sujando os pneus. O piloto da Mercedes ainda tentou pressionar, mas viu que não dava e mudou de tática. Foi para os pits e mudou para pneus médios.

No começo, parecia que não ia funcionar e Hamilton resmungou. Com problemas nos freios, ele viu Verstappen responder com voltas muito boas de pneus desgastados. Só que os freios melhoraram sem estar embutido na Red Bull e a vantagem do holandês começou a desabar. A oito voltas do fim, os pneus de Verstappen estavam no fiapo. Hamilton chegou cheio de ação, o holandês tentou segurar do jeito que dava, mas não dava. Hamilton mostrou a categoria de pentacampeão, compensou a falta de freios no freio motor e mesmo esticando a curva assumiu a ponta para sumir para a vitória. Verstappen ainda trocou pneus para fazer a volta mais rápida da prova e somar o ponto-extra.

Na briga pelo pódio, Sebastian Vettel inverteu sua tática e botou pneus macios para o último stint na caçada a Charles Leclerc. Chegou a duas voltas do fim, usou a asa móvel e ignorou a expremida do companheiro para assumir o terceiro posto, fechando o pódio de uma corridaça no Hungaroring.

O quinto lugar ficou para Carlos Sainz, depois de passar o companheiro Lando Norris na largada e fazer uma corrida solitária com a McLaren. Atrás dele, o apagadíssimo Pierre Gasly, seguido do combativo Kimi Raikkonen, seguido do tristonho Bottas em oitavo. Norris e Alex Albon completaram os pontuadores do dia.