Hamiton vence o GP do Bahrain em duelo de titãs com Verstappen

Hamiton vence o GP do Bahrain em duelo de titãs com Verstappen

Mercedes superou carro mais veloz da Red Bull e ímpeto do holandês na tática e no braço do britânico

Bernardo Bercht

Britânico chegou à vitória 96 na carreira

publicidade

A Fórmula 1 teve uma abertura histórica com direito a duelo antológico e vitória espetacular de Lewis Hamilton, neste domingo. Na tática e no braço, o britânico superou o carro mais rápido da Red Bull. Max Verstappen também foi genial, atacou de tudo que é jeito, chegou a passar, mas teve que se contentar com o segundo posto. Valtteri Bottas completou o pódio, bem longe do espetáculo principal no GP do Bahrain.

Hamilton arrancou um pouco melhor e tentou passar por fora, mas Verstappen segurou. Atrás, Leclerc passou Bottas com estilo e as duas McLaren iniciaram um duelo ensandecido, em que Norris se deu melhor. A disputa teve uma pausa, contudo. Nikita Mazepin errou sozinho na sua terceira curva na Fórmula 1 e bateu a Haas no muro. Antes do safety car, Fernando Alonso tinha passado Carlos Sainz e se misturava com as McLaren.

Veio a relargada, o líder com a Red Bull segurou bem a fila e quase levou o bote da Mercedes. De novo, porém, prevaleceu o holandês na dianteira. Lá atrás, Sérgio Perez vinha passando uma galera após largar dos boxes.

A próxima vítima acidentada foi Pierre Gasly com a Toro Rosso. Ele tentou ir para cima de Ricciardo e perdeu o aerofólio dianteiro. Ao mesmo tempo, Bottas superava Leclerc, que logo depois também sofreu a ultrapassagem de Norris.

Alonso deu início aos pits da janela, fazendo um bom undercut. Ele voltou rápido e superou Lance Stroll e Daniel Ricciardo nos pits. Só que a Alpine claramente não rendia a mesma coisa com os compostos médios. Quem também apostou forte no undercut foi Lewis Hamilton. O britânico parou bem antes de Verstappen e botou pneus duros. Quando os dois voltaram, estava na liderança.

A boa tática de Alonso, contudo, logo começou a ruir por problemas de freios traseiros. O espanhol tentou segurar a onda, mas foi superado pelos concorrentes. Ainda teve uma boa briga com Vettel, o alemão dando o troco na Alpine mesmo com os pneus desgastados em sua Austin. Foi um bom show, mas que fez ambos perderem tempo. Na volta 35, contudo, fim de papo para o retorno de Alonso, com os freios superaquecidos.

Veio a segunda janela de pit. Hamilton viu Verstappen se aproximar muito e, de novo, adiantou a parada. Estava armado o cenário para uma luta forte no fim da corrida entre Red Bull e Mercedes. Bottas tentava entrar na brincadeira com uma tática alternativa, mas um erro nos pits deixou o finlandês para trás. Ia ter que segurar, ainda, o ímpeto de Perez em quarto. Lá atrás, Sebastian Vettel seguiu no dia de Maldonado, errou a freada e deu no meio da traseira de Esteban Ocon.

A partir daí, todo o foco era para o duelo de titãs, na perseguição do jovem leão ao sir heptacampeão. Verstappen descontou volta a volta, com bem mais rendimento. Com a asa móvel e pneus 11 passagens mais novos, a tendência era passar. Mas nem nos dias mais complicados dá para descartar uma façanha de Hamilton.

A Red Bull sentou no aerofólio da Mercedes, Verstappen abriu asa, Hamilton fechou por dentro. Max tracionou melhor e passou for fora. Só que espalhou e botou as quatro rodas fora da pista. A manobra seria ilegal e Verstappen devolveu a posição. Tentou atacar de novo, de tudo que é jeito, mas o ponto ideal da borracha tinha passado. Chegou a abrir asa na volta final, mas não foi o suficiente para tentar passar.

Vitória magistral de Hamilton e da Mercedes, na tática e na pilotagem, num dia que partiu em desvantagem. Corrida para provar que Verstappen vai figurar entre os gigantes também. Em terceiro, o coadjuvante Bottas, com Lando Norris num belo dia para a McLaren em quarto.

Sérgio Perez chegou a circular no quarto posto, mas a Red Bull tentou arriscar mais uma parada e ele passou mais quatro carros para ser quinto. O sexto foi Leclerc, com a muito melhorada Ferrari. Ricciardo foi discreto com a McLaren em sétimo, à frente de outro anônimo, Carlos Sainz. Yuki Tsunoda remou muito com a AlphaTauri para pontuar na sua estreia, enquanto Lance Stroll ficou sem pneus no fim e levou um pontinho para a Aston Martin.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895