Leclerc faz pole espetacular e inusitada, ao bater no fim do treino em Mônaco

Leclerc faz pole espetacular e inusitada, ao bater no fim do treino em Mônaco

Verstappen larga em segundo, com Hamilton apenas em sétimo, num treino da Fórmula 1 cheio de alternativas

Bernardo Bercht

Erro no último setor levou a Ferrari ao muro, mas não tirou a pole

publicidade

Charles Leclerc fez uma das pole-positions mais inusitadas da história da Fórmula 1, neste sábado. O monegasco vai largar na pole-position do GP de Mônaco, com uma inesperada Ferrari. Mas também sofreu o embaraço de bater no muro na sua última tentativa e voltar aos boxes com a preocupação se poderá consertar o carro sem tomar punição.

O dia foi para lá de bom para Max Verstappen. O holandês conseguiu o segundo lugar mais saboroso da carreira e vai poder atacar pela ponta na largada, com sua Red Bull. De quebra, a única Mercedes perto dele é a de Valtteri Bottas, com o finlandês encaixando boa volta a 260 milésimos da pole. Lewis Hamilton não se encontrou nas ruas do principado e ainda teve a última tentativa abortada pela batida de Leclerc. Com isso, larga apenas em sétimo e até um pódio ficou difícil num lugar que pouco se consegue ultrapassar.

Na turma do top ten, talvez o mais desapontado seja Carlos Sainz, que tinha a chance da pole, mas fez uma volta meia-boca e larga em quarto. Lando Norris fez o melhor possível com a McLaren em quinto, seguido do ainda ótimo em treinos Pierre Gasly, com a AlphaTauri. Um faceiro Sebastian Vettel foi oitavo com a Aston Martin, à frente do novamente abaixo da média Sérgio Perez e do ótimo Antonio Giovinazzi, com o primeiro Q3 da Alfa Romeo.

A estrela dos degolados do Q2 foi Esteban Ocon. A Alpine nitidamente não encontrou um acerto para Monte-Carlo, mas ainda assim o francês encaixou uma volta excelente para ser o 11º, quase beliscando um Q3. Atrás dele, Daniel Ricciardo era só frustração em 12º com uma McLaren muito melhor que o seu resultado.

O Q1 teve dois eliminados de peso, com Yuki Tsunoda ainda vivendo um calvário desde a ótima estreia no Bahrain. O japonês até chegou perto de avançar, mas tinha que ter passado com alguma tranquilidade, pela performance de Gasly. Vai largar em 16º, sem choro nem vela. Em 17º, toda a ranzinza de Fernando Alonso, que ficou muito longe do colega de equipe e vai amargar posição que não via desde os tempos de Minardi, em Mônaco.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895