Leclerc quebra os cronômetros e mostra força da Ferrari em Barcelona

Leclerc quebra os cronômetros e mostra força da Ferrari em Barcelona

Mercedes melhorou problemas de acerto, mas Scuderia segue com boa vantagem sobre o pelotão

Bernardo Bercht

Até o momento, ninguém pode com o ritmo da Ferrari em 2019

publicidade

A Ferrari resolveu acabar com a brincadeira e, nesta quinta-feira, mostrou quem está na frente na arrancada da Fórmula 1 em 2019. Depois da pancada de Sebastian Vettel - provocada por uma roda quebrada - o time reconstruiu o carro e Charles Leclerc cravou 1min16s231, patrolando as melhores marcas de até então. Para colocar sal na ferida, o monegasco ainda conseguiu virar na casa de 1min17s com os pneus C3, bem mais duros que os C5.

O segundo lugar ficou com a Toro Rosso de Alexander Albon, com o estreante virando 1min16s882. A palavra no paddock, entretanto, é que a equipe satélite da Red Bull obteve a marca numa simulação de classificação. Tanque na fumacinha e pneus chiclete novos. Mesmo assim, não passou perto da Ferrari.

A McLaren seguiu mostrando que o carro é melhor do que o de 2018 com o terceiro tempo de Lando Norris. O inglês virou 1min17s084 com a borracha mais macia, C5. Pierre Gasly veio em seguida e poderia ter feito ainda melhor, não fosse um erro no segundo setor. Bateu muito forte, danificou dois quadrantes do carro e encerrou seu dia com apenas 65 voltas.

Na disputa de meio do pelotão, a Renault colocou pulga atrás da orelha da galera com boas voltas na casa de 1min17s, em sequências de até 10 passagens na pista, tanto com Ricciardo quanto com Nico Hulkenberg. A briga será muito interessante com Alfa-Romeo, McLaren e Haas.

Os norte-americanos voltaram a ganhar confiança dos analistas com uma volta de 1min18s de Ian Magnussen usando o pneu C3 num stint longo. Parece que tiraram a lição da cartilha da Mercedes.

Por falar nos prateados, Lewis Hamilton declarou que muitos problemas foram resolvidos, principalmente o de desgaste dos pneus, que geravam alto graining em poucas voltas. Virou 1min18s097 com pneu de madeira, por sinal, o C2. Ainda faltam remar um tanto para bater a Ferrari, mas o cenário já não é de "susto geral" para a campeã platinada.


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895