Leclerc segura pressão da Mercedes e faz festa da Ferrari em Monza
capa

Leclerc segura pressão da Mercedes e faz festa da Ferrari em Monza

Monegasco ganhou a segunda seguida em batalha intensa com Hamilton e Bottas

Por
Bernardo Bercht

Ferrarista não tremeu frente à armada de prata dos alemães

publicidade

Charles Leclerc embalou com a Ferrari. A Scuderia deu um foguete para o monegasco no GP da Itália ele fez a festa dos tifosi em Monza, com uma apresentação impecável. A Mercedes pressionou de todo jeito, mas Leclerc segurou a onda e garantiu a invasão da torcida italiana mesmo correndo em voo solo após erros de Sebastian Vettel. Lewis Hamilton chegaria em segundo, mas errou ao fazer a carga pela liderança, então Valtteri Bottas cruzou atrás da Ferrari, com o britânico apenas em terceiro.

A largada foi o primeiro movimento-chave do piloto ferrarista. Leclerc arrancou pior, mas usou a força do motorzão e ainda espremeu Hamilton para manter a dianteira. Bottas passou por instantes o companheiro, só que o líder do campeonato devolveu na reta seguinte. Lá atrás, lambança de Max Verstappen. O holandês errou a freada e bateu na traseira de Sérgio Perez, danificando o aerofólio dianteiro. Outro que largou mal foi Sebastian Vettel, superado até pela Renault de Nico Hulkenberg.

O alemão ia deixar a Ferrari sem opções estratégicas muito em breve. Ele até passou a Renault. Algumas voltas depois, fez a manobra mais amadora dos últimos anos numa pista de alta velocidade. Primeiro, rodou feio no Esse antes da Parabólica. Sem pensar duas vezes, retornou à pista em frente ao pelotão. A mais de 200 por hora, Lance Stroll conseguiu evitar um impacto direto com consequências graves, mas foi tocado pelo alemão e rodou. A manobra, com possibilidade de machucar feio alguém, foi punida com um stop and go, tirando de Vettel qualquer chance de pontuar. Não seria exagerado uma bandeira preta, contudo.

Os destaques da corrida a essa altura eram Carlos Sainz e Alex Albon, recortando o pelotão. O tailandês tomou um fechadão do espanhol, saiu da pista, mas retomou a carga para ficar na alça de mira das Renault. A McLaren, por sua vez, tirou todas as chances de pontuar bem com um erro de pit-stops. Apertou mal a roda dianteira direita e deixou Sainz a pé.

Por falar em pits, eles vieram e as escolhas táticas foram importantes para a segunda metade da corrida. Hamilton parou antes, tentando o undercut com borracha nova para voar na pista. Leclerc respondeu em seguida e voltou com o britânico sentado no aerofólio traseiro. Hamilton tentou aproveitar o aquecimento dos pneus, não conseguiu imediatamente. Iniciou-se uma bataha de nervos e máquinas. Charlinho mandou muito bem nessa.

A Mercedes era claramente melhor nas curvas, só que não o suficiente. A Ferrari respondia com um canhão de retas, que Hamilton tentava compensar com o vácuo e o braço. Quase conseguiu passar quando Leclerc errou a freada da chicane do retão e atravessou as zebras. Leclerc fechou a porta no limite da legalidade e conseguiu se segurar. Enquanto isso, Bottas que tinha parado bem depois se aproximava rapidamente da dupla com borracha mais nova.

Até que Hamilton "tropeçou na baba" e cometeu um raro erro, atravessando a chicane ao perder o ponto de freada. Bottas assumiu o segundo posto. Tudo indicava que com pneus novinhos ele teria ação para passar Lecler, só que o finlandês foi ainda menos combativo que  Hamilton. Pouco conseguiu ameaçar a trajetória de Leclerc que foi perfeito até cruzar a linha de chegada e fazer tremer Monza com a festa tifosi. Hamilton ainda foi aos boxes colocar pneus novos para fazer a volta mais rápida.

Atrás da batalha campal, as duas Renault fecharam em quarto e quinto, melhor posição do ano com Daniel Ricciardo à frente do desempregado Nico Hulkenberg. Albon tentou até o fim chegar nos amarelinhos e fechou em sexto, fazendo 2 a 0 em Verstappen na sua arrancada com a Red Bull. Sérgio Perez foi sétimo com a Racing Point, segurando um bufante Max Verstappen que remou muito até chegar nos pontos em oitavo. Antonio Giovinazzi chegou a três pontos na temporada com o nono da Alfa Romeo e Lando Norris salvou um pontinho para a McLaren, em dia que o time britânico desperdiçou mais um resultado.