Mercedes não arrisca nada e Verstappen vence com sobras o GP da Estíria de Fórmula 1

Mercedes não arrisca nada e Verstappen vence com sobras o GP da Estíria de Fórmula 1

Holandês comandou todas as ações e colocou volta até no quinto colocado

Bernardo Bercht

Holandês controlou vantagem no começo e disparou na metade final

publicidade

A Red Bull sobrou e Max Verstappen governou a bel prazer o GP da Estíria de Fórmula 1. A Mercedes facilitou, ao não tentar absolutamente nada diferente, e o holandês foi impecável para vencer patrolando, botando volta até no quinto colocado. Lewis Hamilton se limitou a comboiar o rival enquanto podia e finalizou em segundo, com Valtteri Bottas segurando Sérgio Perez para fechar o pódio.

Hamilton até pulou melhor na largada, mas não tracionou no lado sujo e Verstappen disparou na frente. No meio do pelotão, Fernando Alonso chegou a ganhar de Charles Leclerc e Pierre Gasly na primeira curva, mas o trio ficou batendo roda até dois levarem a pior. Leclerc perdeu parte do aerofólio e Gasly teve o pneu furado, eventualmente quebrando a suspensão. Alonso sobreviveu incólume, mas viu Lance Stroll bater a carteira de todo mundo.

Mais na frente, Bottas passou Perez e  Norris para se recuperar da punição no grid. O mexicano demorou a superar a McLaren, o que no fim da prova lhe custaria o pódio. A partir daí, a tática era mais ou menos óbvia para todo pelotão, uma parada e ver o que acontecia. Verstappen liderava e mantinha entre 2,5s e 4s para Hamilton, com tudo sob controle.

Gastando mais pneus que os adversários imediatos, Alonso teve a sorte de George Russell ficar de escudo com o carro desequilibrado da Williams, e pode estender a vida dos pnes macios para 26 voltas. O coitado do britânico perdeu mais uma chance de pódio quando seu carro perdeu o ar comprimido das válvulas do motor. A Ferrari apostava em manter Carlos Sainz no asfalto com pneus duros e Leclerc já tinha trocado na segunda volta por conta do aerofólio danificado.

Quando todo mundo parou, a Red Bull tinha um ritmo bem melhor na liderança com pneus duros. Hamilton descontou a diferença durante três voltas, mas depois começou a cair de performance. A 20 voltas do fim, a Mercedes tinha uma janela confortável para trazer o britânico para os pits e botar pneus novos, uma jogada que poderia sacudir a corrida. Só que não tentaram nada, abusaram do conservadorismo e viram Verstappen sumir na frente.

Perez tentou, a 16 voltas do final e calçou pneus médios. O mexicano descontou 1,5s por volta de Bottas, mas pegou alguns retardatários a quatro voltas do fim. Engatou no vácuo na última volta, mas não teve tempo de passar e surrupiar o terceiro degrau do pódio.

Na luta dos pontos, Norris seguiria soberano em quinto, enquanto Sainz passava Stroll para ser sexto numa boa corrida de recuperação. Mais impressionante, Leclerc fez uma segunda parada e voltou patrolando Giovinazzi, Vettel, Raikkonen, Tsunoda, Alonso e Stroll para ser sétimo. O canadense marcou bons pontos com a Aston Martin, segurando Alonso na volta final. O espanhol superou a limitação de pneus somando dois pontos com a Alpine, apesar dos ataques de Tsunoda durante todo o terço final de prova. O último pontinho ficou mesmo com o japonês da AlphaTauri.

Só na antepenúltima volta a Mercedes trouxe Hamilton para parar, calçar pneus e fazer a volta mais rápida. Disparado na frente, Verstappen se deu o luxo de estacionar na linha de chegada e comemorar com time na mureta dos boxes. Agora são 156 pontos contra 138 do britânico e o título começa a parecer uma grande possibilidade.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895