capa

"Nada se compara a Indianápolis", destaca Lucas Kohl após treino

Piloto gaúcho trabalha com Roberto Moreno por bom resultado na Indy Lights

Por
Bernardo Bercht, direto de Indianápolis

Muita telemetria e análise de corridas passadas, nos boxes da equipe Belardi

publicidade

O piloto de Santa Cruz do Sul, Lucas Kohl, teve seu batismo a mais de 300 por hora na mítica pista de Indianápolis. Em meio a análises de telemetria e altas conversas com o sabe-tudo de Indycar Roberto Moreno, ele destacou para o PitLane suas primeiras sensações na pista. Nada se compara a Indianápolis", enfatizou.

"A sensação de guiar nesta pista lendária é demais. Chegamos a 310 km/h de média, isso é muito diferente do que eu estava acostumado", revelou Kohl. Diferente de tudo, com quatro curvas para o mesmo lado, mas complicada. "Precisa ser muito delicado, muito sensível com o volante. A 300 por hora, qualquer viradinha tem uma repercussão grande", explicou o piloto da equipe Belardi Auto Racing.

Para acertar a linha, e extrair o máximo do Indy Lights, Kohl trabalha a todo momento com Moreno, absorvendo sabedoria de 12 temporadas na Indy e sete na Fórmula 1. "Assisti muitas corridas dos últimos anos com o Roberto, fizemos análises", contou. "Queremos classificar o mais para frente, mas ele enfatizou comigo que seŕá importante ter o acerto no meio dos outros, conseguir ultrapassar por dentro e por fora, ter segurança nas disputas", detalhou Kohl.

Em meio a tudo isso, encarar o muro a 300 por hora não é lá o mais fácil de tudo. O piloto gaúcho inclusive já teve seu contato imediato de terceiro grau com a barreira histórica. "Tive uma saída de frente no vácuo de outro piloto, dei uma raspadinha no muro. Mas é normal. Foi uma estreada de leve para deixar uma marquinha no muro da Curva 4 de Indianápolis."