Pato O'Ward ataca no fim e vence pela primeira vez na Indy com a McLaren no Texas

Pato O'Ward ataca no fim e vence pela primeira vez na Indy com a McLaren no Texas

Mexicano fez grandes ultrapassagens para faturar prova marcada por forte acidente com brasileiros, na largada

Bernardo Bercht

Mexicano garantiu teste com a F1 no fim do ano

publicidade

A Fórmula Indy aumentou o nível das disputas, após superar um susto logo na largada da segunda prova do Texas, neste domingo. E quem levou a melhor com uma corrida super agressiva foi o mexicano Pato O'Ward. Aos 21 anos, depois de bater em algumas traves em 2020, ele deu a primeira vitória também para a McLaren em seu retorno à categoria. Josef Newgarden e Grahram Rahal completaram o pódio.

A largada teve um "big one" que envolveu oito carros, tirando cinco deles da prova imediatamente. Pietro Fittipaldi acabou tocando a traseira de Sebastien Bourdais e iniciou a reação em cadeia que terminou com Conor Daly capotando e voando de cabeça para baixo. Alex Rossi, Dalton Kellet, Tony Kanaan, James Hinchcliffe e Alex Rossi foram os outros envolvidos. Tony ainda conseguiu voltar, mas perdeu três voltas para reparar os danos.

Veio a largada e as disputas foram bem mais acirradas que no dia anterior. Apesar da dificuldade em usar a linha externa, os pilotos conseguiram fazer mais ultrapassagens, principalmente Pato O'Ward e Graham Rahal.

Na arrancada inicial, Scott Dixon assumiu a ponta e parecia que reinaria tranquilo, repetindo a vitória de sábado. Mas atrás uma turma enfezada já esfregava as mãos para incomodar.

Rahal foi para o ataque na metade da corrida, mais ou menos. Ele conseguiu um embalo interessante e, após alguns fininhos de roda com roda, conseguiu assumir a ponta. Só que Dixon arranjou alguma coisa no acerto interno do carro e deu o troco.

Depois de mais uma janela de pits, a vez do ataque era de O'Ward para cima de Jack Harvey. O britânico fazia nova prova consistente, mas sofreu a ultrapassagem mesmo espremendo o piloto da McLaren. Uma volta depois, o freio traseiro explodiu e o carro da Meyer Shank Racing provocou nova bandeira amarela.

A turma relargou e Josef Newgarden entrou na brincadeira. Logo depois, Felix Rosenqvist perdeu a roda traseira, conseguiu controlar, mas obrigou novo pace car. O xadrez dos pit-stops empurrou Dixon para quarto, enquanto Takuma Sato liderava Newgarden e Rahal.

Só que o japonês ainda ia precisar parar, dando a ponta para a Penske. Mas O'Ward não queria saber e foi com tudo para cima. A 20 voltas do fim, ataque total. Pegou o vácuo, foi espremido por fora e recolheu. Não desistiu, colocou por dentro e levou. Daí para a frente, foi controlar até o fim e finalmente chegar a sua primeira vitória. Agora, o chefe Zak Brown vai ter que dar o testes na Fórmula 1, prometido lá no começo do ano.

Tony Kanaan ainda conseguiu recuperar para 15º, após remar muito com o carro remendado.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895