Rossi é alvo de pegadinha e pilotos alimentam intriga no paddock de Indianápolis

Rossi é alvo de pegadinha e pilotos alimentam intriga no paddock de Indianápolis

Tony Kanaan foi primeiro suspeito, mas garantiu estar em casa, Conor Daly seria o acusado do momento

Bernardo Bercht

Piloto ficou sem carona logo de manhã, no super speedway

publicidade

A tradicional pegadinha anual das 500 Milhas de Indianápolis ganhou escala industrial, nesta edição. O carrinho de golfe de Alex Rossi amanheceu, na quarta-feira, sem suas quatro rodas, sobre quatro tijolos. Os pneus, empilhados no teto do motorhome do piloto da Andretti.

Especialista em pegadinhas, logo os olhares viraram sobre Tony Kanaan, mas o brasileiro enfatizou que estava em casa durante os procedimentos noturnos. Vale lembrar que Tony tem ficha corrida no ramo. Em 2018, ele e o companheiro de equipe Matheus Leist protagonizaram um desses episódios no Media Day. Tony veio entregar de presente um "Chia Pet", brinquedo em que uma planta simula o cabelo crescendo em um boneco, tirando onda com o cabelo comprido de Matheus. Imediatamente, o piloto estreante na Indy 500 puxou um óculos com um grande nariz e as letras "TK" desenhadas na armação.

Voltando a 2020, os especialistas já salientaram que o nível das pegadinhas deve escalar com o "ataque" a Rossi. James Hinchcliffe numa coletiva de imprensa revelou que já sabiam o culpado, mas ele não poderia revelar. Isso porque, foi escalado por Rossi para auxiliar no contra-ataque.

Tony Kanaan acrescentou que, provavelmente, Marco Andretti não seria um dos suspeitos, até por "ele não saber brincar" com esse tipo de coisa. "Na verdade a pegadinha fica mais engraçada, pois ele já ficava todo preocupado: 'Quem fez isso? Como que eu vou fazer agora?'", destacou Tony, imitando um enorme beiço de descontentamento.

No fim das contas, testemunhas informaram que o provável culpado pela traquinagem de grande escala seria Conor Daly. Fernando Alonso afirmou que Hinchcliffe estaria fazendo jogo de agente duplo, mas que Conor também era seu suspeito. Ryan Hunter-Reay indicou, contudo, que a proeza não poderia ter sido feita sozinha e que, além disso, acusar Daly pode ser mais um passo da pegadinha, adicionando mais uma vítima à brincadeira.

Enfim, com menos eventos de mídia, pela corrida sem torcida, os pilotos acharam mais tempo livre para cornetear uns aos outros. Quando acontecer a vingança de Rossi, traremos em primeira mão.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895