Verstappen comanda e vence GP marcado por trapalhada de Leclerc em Ímola

Verstappen comanda e vence GP marcado por trapalhada de Leclerc em Ímola

Red Bull fez todos os pontos possíveis com dobradinha, Norris comemorou pódio com a McLaren

Bernardo Bercht

Holandês sobrou com erros da Ferrari e de Leclerc

publicidade

Max Verstappen aproveitou as vaciladas da Ferrari e comandou o GP de Ímola, neste domingo. O holandês largou na frente e comandou a corrida para vencer com dobradinha da Red Bull. Sérgio Perez fez a dobradinha, depois de largar melhor que Leclerc e segurar os ataques do monegasco. Lando Norris herdou um pódio merecidíssimo para a recuperada McLaren, ainda que longe dos ponteiros.

A história da corrida foi mesmo a de Leclerc. Ele largou mal no lado sujo da pista, enquanto o asfalto ainda estava molhado. Seu colega Carlos Sainz foi ainda mais prejudicado ao receber um toque de Daniel Ricciardo e ficar atolado. A corrida de Alonso também acabou ali, quando Mick Schumacher bateu e destruiu a lateral da Alpine.

Mais adiante, quando Leclerc podia atacar Perez, a direção de prova demorou 15 voltas a mais do que deveria para liberar a asa móvel.

Numa pista que, mesmo com o DRS, é difícil de ultrapassar ele ainda tentou uma cartada. Leclerc parou nos boxes a 13 voltas do final e botou pneus macios. Passou Norris e foi para cima de Perez, quando a Red Bull respondeu e parou com os dois carros.

Estava difícil chegar e Leclerc exagerou. Mordeu a zebra da chicane do segundo setor muito forte, levantou voo e bateu. Conseguiu voltar para a pista, mas Norris já tinha ido embora. A Ferrari fez mais um erro de cálculo: o carro tinha um dano na asa dianteira, mas muita vantagem para o quinto lugar. Seria um quarto posto mais ou menos garantido, mas Leclerc foi para os boxes trocar o aerofólio. Voltou em nono.

Enquanto Verstappen comandava lá na frente, outra história da corrida era o trenzinho do Lance Stroll. A Aston Martin fez tudo certo e colocou seus carros nos pontos, com Vettel num excelente oitavo posto. Stroll era o décimo e segurou a corrida inteira um trem com Alex Albon de Williams, Pierre Gasly de AlphaTauri e um frustradíssimo Lewis Hamilton.

Era para o britânico estar na frente de toda essa turma, mas a Mercedes fez um pit horroroso e mandou ele para o fim da fila. Como a direção de prova demorou a liberar o DRS, Stroll manteve a fila em formação quase toda a corrida.

Nas voltas finais quem ultrapassava, então, era Leclerc. Com pneus macios e muito mais carro, ele patrolou todos que estavam ao alcance. Magnussen, Vettel e Tsunoda dançaram rapidinho. O problema é que Bottas já estava fora do alcance.

Bottas ficou atrás de Russell por causa de um pit muito ruim da Alfa Romeo e foi para cima no final. Só que mesmo com a asa móvel, o finlandês não teve o suficiente para botar de lado.

Na bandeirada, Verstappen cruzou sem ser pressionado, com Perez em segundo para festa da Red Bull, que conquistou todos os pontos possíveis. Norris vibrou muito com o terceiro posto, seguido de Russel. O britânico fez uma bela corrida com a complicada Mercedes, otimizando os problemas dos outros para se quarto. O quinto foi Bottas, seguido do azedo Leclerc, Tsunoda, Vettel, Magnussen e o último pontinho de Stroll.

 

 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895