Verstappen vence GP do Brasil antológico e cheio de alternativas
capa

Verstappen vence GP do Brasil antológico e cheio de alternativas

Holandês levou a melhor em duelo com Hamilton, que ainda foi superado pelo inesperado Gasly no fim

Por
Bernardo Bercht

Corrida cheia de alternativas terminou com holandês na frente

publicidade

Max Verstappen venceu uma corrida para a história da Fórmula 1, em Interlagos. A prova teve de tudo, inclusive Lewis Hamilton com um carro destruído batalhando lado a lado com o inesperado Pierra Gasly. O piloto da Toro Rosso chegou em segundo na base da tática e com ajuda dos safety cars. Mas segurou a poderosa Mercedes na sua melhor corrida no Mundial.

Hamilton fecharia o pódio, mas o terceiro lugar ficou com Carlos Sainz da McLaren, depois de largar em último. O britânico acabou punido pela batida no fim com Alex Albon.

A largada teve Hamilton saltando forte e superando Vettel por fora. Verstappen arrancou um pouco pior, mas conseguiu manter a liderança. No meio do pelotão, Charles Leclerc deu show, escalando dez posições nas primeiras voltas.

Começou uma mistura de desabalada perseguição com xadrez tático entre os dois primeiros. A Red Bull era mais rápida nas voltas iniciais, mas a Mercedes conservou mais pneus e, antes da janela para dois pits, Hamilton começou a descontar diferença. Aí, tentou o pulo do gato, antecipando sua parada. O undercut funcionou, e foi ajudado ainda por uma liberação de box equivocada da Williams, que atrapalhou Verstappen.

Só que o holandês veio com tudo, abriu asa móvel e passou. Hamilton também usou a asa e na passagem seguinte deu o troco. Um duelo de gigantes, o futuro e o presente da Fórmula 1. De repente, a Mercedes perdeu um pouco de potência, foi o suficiente para Verstappen liderar e abrir um pouco. O problema, possivelmente eletrônico, foi corrigido e a luta retomada.

Vettel ensaiou parar uma vez a menos, com pneus médios. Liderou enquanto dava, até que a confiança em acabar a corrida terminou e ele foi aos pits. A briga, então, era entre Charles Leclerc e Valtteri Bottas pelo quarto posto. Bottas não conseguiu passar, apesar dos pneus bem mais novos e acabou tendo problemas mecânicos. Parou na reta oposta e causou um safety car.

Hamilton arriscou ficar na pista e assumir a ponta. Verstappen parou e trocou para borracha macia. Veio a relargada, Hamilton tentou espremer, mas a Red Bull foi melhor na tangência. Verstappen na liderança. O hexacampeão ainda tentou dar o troco na reta oposta, botou por fora, mas faltou pneu para se manter lado a lado.

Mais atrás, Vettel vacilou e foi superado por Alex Albon. O tailandês queria mais e também apertou para cima de Hamilton. As Ferrari chegaram e se embolara. Vettel vacilou ao atacar Albon e Leclerc foi para cima. Passou. Na reta seguinte, as duas Ferrari se tocaram e implodiram suas corrida. Vettel com pneu traseiro furado, Leclerc com a suspensão dianteira quebrada.

Novo safety car, com três voltas para acabar. Hamilton com os pneus esbagaçados, foi para o box e caiu para quarto. Pierre Gasly assumiu o terceiro lugar, num pódio completo de "Red Bulls".  Só que tinha a relargada. Hamilton veio possuído e passou Gasly. Ainda pensando em vencer, o britânico se atirou no bico de pato. Botou lado a lado, mas Albon fechou a porta e bateram. A Toro Rosso recuperou o segundo lugar.

Hamilton, com a frente toda destruída não desistiu. Foi para cima na volta final, buscou de todos os lados. Veio a última curva, a Mercedes ficou por dentro, Gasly tracionou melhor por fora e ambos foram lado a lado rumo à bandeirada. Gasly fechou em segundo para a dobradinha Honda por menos de meio carro. Lá na frente, sem saber de confusão, Verstappen venceu com ímpeto e méritos.

O quarto lugar ficou com Kimi Raikkonen, finalmente voltou aos pontos pela Alfa-Romeo, seguido de Antonio Giovinazzi. O sexto foi o combativo Daniel Ricciardo de Renault, seguido de Hamilton, com Lando Norris em oitavo e Sérgio Perez em nono com a Racing Point. O último ponto ficou com Daniil Kvyat da outra Toro Rosso.