capa

Vettel erra de novo e Hamilton crava pole sem chances para rivais na França

Alemão teve que desistir de primeira volta e não encaixou a segunda na pista de Paul Ricard

Por
Bernardo Bercht

Mercedes repetiu performance impecável, enquanto Ferrari afundou com Vettel

publicidade

Apostaram no leão de treino Valtteri Bottas, Sebastian Vettel fez um gracejo no Q2, mas só deu ele de novo... Lewis Hamilton cravou a pole-position para o GP da França, com novo recorde de pista em Paul Ricard neste sábado. O britânico virou 1min28s319 e vai formar uma primeira fila Mercedes com Bottas em segundo.

Em terceiro Vettel? Não, Charles Leclerc salvou um pouco do dia para a Ferrari, mas já a seis décimos de segundo do pentacampeão. Foi mais um dia de Vettel naufragar na maré de erros que tem marcado sua carreira na Scuderia. Depois de fazer o segundo tempo no Q2 e indicar uma briga, errou sua primeira volta no Q3 e desistiu dela. Voltou para a última tentativa, se perdeu numa troca de marcha e fez apenas o sétimo tempo para largar no meio do pelotão.

- Veja o resultado completo

Quem agradeceu foi o holandês Max Verstappen, que colocou a Red Bull em quarto, numa improvável segunda fila. Outros dois que tiveram excelente desempenho foram os da turma de laranja. Lando Norris vai largar na melhor posição da sua breve carreira, em quinto com a McLaren. Carlos Sainz, logo atrás em sexto e Fernando Alonso já deve estar se coçando para guiar a máquina papaya orange...

Já falamos do cabisbaixo e meditabundo Vettel e ele, curiosamente, vai largar juntinho com Daniel Ricciardo e sua Renault em ascenção. Pierre Gasly com a outra Red Bull e Antonio Giovinazzi, devolvendo a Alfa-Romeo ao Q3 completaram o top ten.

Entre os degolados, na turma do Q2 a única vítima mais surpreendente foi Nico Hulkenberg. O alemão teve uma volta abaixo da média e será apenas décimo terceiro no grid. O décimo primeiro foi um até contente Alex Albon de Toro Rosso, seguido de um mais azedo Kimi Raikkonen.

Entre os que ficaram no Q1, ninguém mais frustrado que Romain Grosjean no seu GP caseiro. A Haas tem um carro rápido, mas não consegue encontrar o equilíbrio fino. O resultado é essa montanha russa de falta de consistência. Também ficaram nesse grupo, Daniil Kvyat, Lance Stroll e, claro as duas Williams, com Roberto Kubica ainda puxando a lanterna.