Will Power vence 500 Milhas de Indianápolis de sobreviventes

Will Power vence 500 Milhas de Indianápolis de sobreviventes

publicidade

Matheus Leist fez corrida segura com um carro difícil


Quem manteve as quatro rodas longe da mureta, numa pilotagem madura para um guri de 19 anos, foi Matheus Leist. Sobrou para o gaúcho de Novo Hamburgo ser o melhor brasileiro na corrida, finalizando em 13º, segurando o instável Dallara até a bandeirada. "Estava muito traseiro, depois ainda tive uma vibração no pneu que achava que ia estourar. Foi muito difícil", definiu o piloto.

Ele escapou das pancadas que levaram ainda Danica Patrick, Ed Jones, Takuma Sato e Sebastien Bourdais, todos pilotos com bem mais experiência nos carros da Indy. A batida de Danica, por sinal, foi um imenso balde de água fria na torcida. Indianápolis silenciou por alguns momentos, vendo a última corrida da única mulher a vencer na Fórmula Indy acabar de forma melancólica.

Sobrou para eles, prenderem a respiração com o arrojo de Alex Rossi. O norte-americano mostrou controle supremo do carro, fazendo ultrapassagens duplas e triplas por fora. Largando de 32º, chegou em quarto, faltaram milhas para acabar em primeiro.

O mês de maio inteiro reverenciou as 500 Milhas, agora tudo acabou em pouco mais de três horas. Não importa, a história foi feita e, em 2019, os motores voltam a rugir e serem reverenciados no templo do automobilismo.





Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895