Will Power vence em Portland e Matheus Leist é destaque, subindo de 21º para 8º
capa

Will Power vence em Portland e Matheus Leist é destaque, subindo de 21º para 8º

Prova com largada acidentada da Indy teve performance com várias ultrapassagens do jovem piloto brasileiro

Por
Bernardo Bercht

Australiano não tem mais chances matemáticas de título, mas ainda incomoda

publicidade

Will Power deixou de vez a zica de lado na Fórmula Indy e venceu sua segunda na temporada, neste domingo em Portland. O australiano foi discreto na primeira metade da corrida, mas apareceu na hora certa para vencer com a Penske e se consolidade no top five do campeonato. O pódio foi completado pelo estreante de luxo Felix Rosenqvist da Chip Ganassi e o postulante ao título Alexander Rossi, da Andretti. Foi dia para lá de positivo, também, para o brasileiro Matheus Leist. Ele fez sua melhor prova em seco na Indy para finalizar em oitavo com muitas ultrapassagens.

O problema da turma é que Josef Newgarden reduziu os prejuízos com o quinto lugar e segue líder, com 41 pontos de folga. Scott Dixon, o imparável, desta vez é apenas uma chute de longe para o campeonato, após parar com a bateria pifada no meio da corrida.

A prova começou acidentada, por conta de um kamikaze Graham Rahal. A galera reclama do seu companheiro Takuma Sato, mas o norte-americano fez strike na curva 1 e tirou quatro da disputa em apenas uma cartada. O companheiro japonês precisou de reparos nos boxes, enquanto Conor Daly, James Hinchcliffe e Zack Veach nem retornar conseguiram.

Quem aproveitou a confusão foi Leist, que já pulou de 21º para 15º. Ainda aproveitou a bandeira amarela para parar e entrar numa janela mais favorável de pit-stops. Depois, Ryan Hunter-Reay se enroscou com Jack Harvey. O piloto de Novo Hamburgo "driblou" o problema e passou os franceses Simon Pagenaud e Sebastien Bourdais para aparecer em 11º. Tony Kanaan era nono e logo a dupla da A.J. Foyt andava em formação  com grandes chances de um top ten.

Lá na frente, o norte-americano Colton Herta liderou o primeiro terço, mas ficou sem pneus e, numa tacada só, foi ultrapassado por Scott Dixon e outros três carros. O neo-zelandês tinha tudo para ganhar e encostar de vez na liderança, mas teve seu infortúnio elétrico. Foi a hora de Power crescer e passar os concorrentes para se credenciar ao degrau mais alto do pódio.

Ajudou também a quebra de Santino Ferrucci, que parou no meio da pista e provocou o último safety car. Foi o momento ideal para Leist parar e o gaúcho voltou em décimo de borracha novinha e cheio de ação. Acionada a bandeira verde, ele não perdeu tempo e passou Charlie Kimball, para em seguida superar Sebastien Bourdais. Na última volta, ainda grudou em Pagenaud, mas faltou pista para bater a carteira da Penske. Ainda assim, comemorou no rádio com o time o dia positivo. De 21º até a oitava posição, com 10 ultrapassagens. Kanaan fechou em 12º.