Casal de namorados empreende em franchising e amplia negócios apesar da pandemia

Casal de namorados empreende em franchising e amplia negócios apesar da pandemia

Karina Finato, 30 anos, e seu namorado, Bruno Fiori, 31 anos, já abriram a segunda regional da Não+Pelo/No+Vello no Brasil e tornaram-se multifranqueados

Correio do Povo

Karina Finato, 30 anos, e seu namorado, Bruno Fiori, 31 anos, já abriram a segunda regional da Não+Pelo/No+Vello no Brasil e tornaram-se multifranqueados

publicidade

Karina Finato, 30 anos, e seu namorado, Bruno Fiori, 31 anos, que são engenheiros e trabalharam juntos em uma grande empresa no Rio Grande do Sul são parceiros agora também no franchising formando um casal que estão juntos 24 horas por dia nas atividades profissionais e empreendedoras. 

Enquanto moraram na Austrália por três anos - entre 2014 e 2017 - eles passaram a estudar a possibilidade de investir no franchising nacional. Ao voltar para o Brasil, lembraram da Não+Pelo, uma vez que ambos eram clientes da marca. Após inúmeras conversas com franqueados e até mesmo com o franqueador, que ficou reticente em investir em uma cidade do Interior de 30 mil habitantes, no caso Nova Prata, o casal mostrou, através de estudos, a viabilidade do negócio em razão de diversos outros municípios ao redor da cidade.  

A abertura da unidade em Nova Prata aconteceu em 2018 e, rapidamente, encontraram um caminho para bons resultados. O grande destaque foi em 2020 quando houve um aumento significativo e efetivo de clientes e consequentemente alta nos faturamentos mensais. O casal, com isso, inaugurou, em abril, a nova unidade Sun&Safe, em Guaporé. 

Os multifranqueados vêm tornando-se pilares para as expectativas do crescimento no franchising. Hoje, a Não+Pelo/No+Vello tem aproximadamente 45% de empreendedores com mais de duas unidades. Para José Rocco, CEO da multinacional no Brasil, o importante neste momento é desenvolver esta mentalidade de gestão. "Nossa operação preconiza que os franqueados expandam para, minimamente, mais uma loja além daquela que eles operam. Implantar esta cultura tem sido importante e, neste momento que a rede modifica completamente seus modelos de negócios com tecnologia exclusiva no mundo, as perspectivas são boas", destaca.

Em plena pandemia, em 2020, embora o setor de Beleza, Estética, Saúde e Bem-Estar tenha crescido nos três estados do sul do país, Karina Foiato e Bruno Fiori dedicaram o tempo para ações de marketing. A partir daí, o faturamento cresceu mesmo diante das restrições estaduais para o combate à pandemia. Segundo Karina, o aumento do efetivo deu-se em virtude das relações B2B. "Foi após muita análise de mercado e conversas com alguns franqueados Não+Pelo, que optamos por ir em frente com o projeto", salienta.

Curiosidades

Nova Prata é um polo regional e conta com uma população de cerca de 30mil habitantes, o que deixou a franqueadora muito receosa na época, pois não havia unidades em cidades tão pequenas. Apesar disso, o casal montou um extenso estudo e apresentou à franquia, demonstrando ser um ótimo case. "Em maio de 2018, abrimos a Não+Pelo Nova Prata. No início, eu realizava os atendimentos e o Bruno ficava na recepção. Vimos nossos esforços crescerem rapidamente e ter certeza que estávamos no caminho certo, mas precisávamos melhorar muito como empresários, visto que nossa formação é basicamente técnica", observa. 

Conforme a empreendedora, em 2019, houve a implementação de algumas mudanças, mas foi em 2020, com a ajuda da franquia, em relação a parcerias, vendas, marketing, entre outras ações, que houve o crescimento e um faturamento sequer imaginado. "Mesmo com a pandemia, crescemos muito como empreendedores e isso não tem preço. Em maio, abrimos a unidade de Guaporé e as expectativas são as melhores. Acreditamos muito na marca e em tudo que ela tem a oferecer, pois muito além de nosso crescimento financeiro está o nosso desenvolvimento pessoal e profissional nesse instigante mundo do empreendedorismo", ressalta. E complementa: "Atingimos valores além da projeção, pois o cenário era desfavorável. A pandemia foi uma revolução social e uma evolução empreendedora", salienta Karina.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895