Em busca do próprio negócio
capa

Em busca do próprio negócio

Por

publicidade



A empresária Tahila Carvalho, de 30 anos, trocou a carreira de advogada para ser dona do próprio empreendimento, na área de organização de eventos. Depois de trabalhar durante dois anos em recepções de festas de formandos, ela resolveu dar um passo maior: procurou o Sebrae e montou a própria empresa, a Oriente Produções. Tahila ainda morou um ano e meio em Londres, onde adquiriu fluência em inglês, até que retornou ao Brasil para abrir o próprio negócio. Na época, sem experiência, ela procurou o Sebrae, que a orientou no processo necessário para abrir a empresa.

"Ainda utilizo o apoio do Sebrae. Aproveito cursos e palestras que me proporcionam novos conhecimentos. Empresários têm que matar um leão por dia. Mas não dá para desistir. É um caminho cheio de pedras e dificuldades e sem a ajuda da família seria impossível seguir adiante", afirma ela.

Ainda com poucos clientes efetivos, Tahila vê a Copa do Mundo de 2014 como oportunidade para expandir seus projetos. "As empresas farão eventos para clientes e funcionários. Como tenho domínio do inglês, vou querer pegar uma fatia dessas recepções", planeja.

Dicas para quem quer começar bem


Conheça o mercado. Antes de dar entrada na papelada, saiba se seu negócio é viável. Colete informações que darão subsídio ao plano de negócios.

Gestão financeira. Suas principais funções são análise e planejamento financeiro; captação e aplicação de recursos financeiros; crédito e cobrança; caixa; contas a receber; contas a pagar; e contabilidade.

Marketing. As empresas conquistam e fidelizam seus clientes por meio da produção de bens e serviços que atendam aos desejos do público; escolha do preço certo para os produtos e serviços; distribuição eficiente e ágil; comunicação com o público.

Plano de negócios. Nele ficam registrados o conceito do negócio, os riscos, concorrentes, perfil da clientela, estratégias de marketing e o plano financeiro.

Vendas. Treinar a equipe, incentivar e promover a criatividade, estar atento às novidades do mercado e iniciativas da concorrência, estabelecer preços competitivos e padronizar o atendimento da clientela.

Relação com o cliente. Através do canal de distribuição, o vendedor comercializa o produto ao consumidor ou usuário. Devem ser definidos de acordo com o produto o público-alvo e o fornecedor do negócio. Fonte: www.portaldoempreendedor.gov.br