"Memórias de São Francisco de Paula" ganha versão impressa e digital

"Memórias de São Francisco de Paula" ganha versão impressa e digital

A publicação terá distribuição gratuita em escolas, bibliotecas e pontos da cidade

Correio do Povo

publicidade

O fogão a lenha que aquece as hospitaleiras casas serranas ilustra a capa do livro Memórias de São Francisco de Paula, parte integrante do projeto do mesmo nome, contemplado pelo edital de Educação Patrimonial do Fundo de Apoio à Cultura do Estado do Rio Grande Sul da Secretaria de Estado da Cultura. O projeto teve início em 14 de março de 2020, com a realização de três Rodas de Conversa, destacando os bens patrimonias Cine Serrano, em Cazuza Ferreira, o Hotel Cavalinho Branco e o Lago Bernardo e o centenário Colégio José de Alencar, encontros que resultaram também em três minidocumentários. A publicação terá distribuição gratuita em escolas, bibliotecas e pontos da cidade. Sua versão online terá acesso livre no site da prefeitura no link https://www.saofranciscodepaula.rs.gov.br/livro.

    Moradores da cidade e da região são os protagonistas das memórias com seus depoimentos reproduzidos no livro, que traz belas imagens, e conta com a participação de importantes nomes ligados ao patrimônio histórico como os arquitetos Luiz Antônio Custódio, Cristhie Lenz e Renata Galbinski Horowitz. A publicação também traz as contribuições da doutora em Geografia Marcia dos Santos Ramos Berreta, do historiador Nathan Camilo e da professora de História e doutoranda do Programa de Pós-graduação em Processos em Manifestações Culturais da Universidade Feevale, Cláudia Santos Duarte.

    Os textos ajudam a compreender os espaços a partir das visões arquitetônica, ambiental e histórica de São Francisco de Paula. Destacam também a participação da comunidade na busca da preservação de seu patrimônio, registrado em tópicos como a apresentação de taipas e de uma roca centenária, que lembra o trabalho de mulheres serranas. Ao final, o tema da educação patrimonial (página 71) traz um QR Code para que o leitor possa entrar em contato com os primeiros passos do inventário cultural do município. Para completar, em suas últimas páginas, um glossário possibilita a todos conhecer um pouco mais do universo do patrimônio cultural.


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895