Varejistas antecipam promoções do Black Friday para fugir da concorrência
capa

Varejistas antecipam promoções do Black Friday para fugir da concorrência

De acordo com o estudo feito pelo site da Black Friday, essa edição deve crescer 21% em comparação com o ano anterior, e movimentar mais de R$ 3,15 bilhões.

publicidade

 

A Black Friday tornou-se uma das principais datas do varejo no segundo semestre. De acordo com o estudo feito pelo site da Black Friday, essa edição deve crescer 21% em comparação com o ano anterior, e movimentar mais de R$ 3,15 bilhões.

Devido à grande procura dos consumidores, os varejistas têm começado a oferecer descontos semanas antes do dia oficial da Black Friday (29 de novembro) com o objetivo de captar ainda mais clientes, aumentar a pulverização das ofertas e aproveitar o movimento de impulso no momento das compras, assim como o pagamento da primeira parcela do 13º salário. 

“Muitos lojistas têm identificado mudanças no comportamento dos clientes antes e durante a data. A procura por itens promocionais semanas antes da Black Friday tem feito com que os varejistas mudem também o seu cronograma e antecipem os descontos para não perder espaço para marcas concorrentes. A partir disso, têm captado cadastro dos seus clientes para o envio de ações promocionais, SMS, vantagens diferenciadas para aqueles que são fiéis “, afirma Israel Nacaxe, COO e co-fundador da Propz, startup que oferece soluções que combinam CRM, inteligência analítica e Big Data para fazer a leitura automática e sistemática do comportamento do consumidor

Segundo Fabio Carneiro, Head Comercial do Promobit, a antecipação de promoções da Black Friday se deve a dois fatores principais: “o primeiro é que a data ganhou, ao longo dos últimos anos, o status de uma das mais importantes do comércio no país. Com isso, se apropriar do nome Black é um importante chamariz para promoções fortes no mês”. 

“Outro fator que influencia esse movimento é uma estratégia de muitos varejistas de adiantarem suas promoções para não terem que concorrer com players maiores e que conseguem trabalhar com uma margem menor. Com isso, é comum que, mesmo grandes lojas, para navegar em um oceano sem concorrência, se adiantem ou prolonguem o período e vão soltando melhores promoções aos poucos”, conta o especialista.

Além disso, para se diferenciar de outros varejistas é importante pensar que os consumidores ainda têm uma imagem um pouco negativa da Black Friday, especialmente, pela questão dos preços que podem variar muitos às vésperas, trazendo uma expectativa negativa de falsas promoções. “A melhor forma para empresa se posicionar é ser transparente e mostrar, inclusive a mudança dos preços ao longo dos tempos”, afirma Albert Deweik, CEO da NeoAssist, plataforma omnichannel para relacionamento com o cliente. Porém, a grande estratégia de Black Friday está mais focada no atendimento pós-venda do que no pré. “É importante pensar em que tipo de experiência eu vou proporcionar para cada cliente porque quando um consumidor opta por uma empresa ele analisa antes de escolher procurando, por exemplo, pela reputação, sites de reclamações, entre outros, para entender quem são as marcas que atendem de forma correta no pós e quem não atende”, finaliza Deweik.

Marco Zolet, CEO do Supermercado Now, maior plataforma de supermercado online, também entende que o atendimento ao cliente é um dos principais diferenciais para determinar o sucesso da antecipação das vendas durante a Black Friday. “O varejista precisa avaliar se ele possui capital humano, força e estrutura para suprir as demandas que a antecipação resultará. São esses fatores que garantirão uma boa experiência de compra e deixarão o cliente satisfeito. É necessário também que ele anteveja possíveis problemas e treine o seu time para resolvê-los. Cliente feliz nessa época significa fidelização por todo o resto do ano”, alerta. 

A Lugano, marca de chocolates finos de Gramado, estreia na Black Friday este ano estendendo a promoção para toda a semana que antecipa a data. Entre os dias 25 e 30 de novembro, os consumidores poderão adquirir as barrinhas de chocolate por apenas R$2,99 (unidade) na loja online e alguns pontos de venda em todo o Brasil. Segundo o CEO, Augusto Luz, a data é uma ótima oportunidade de pulverizar a marca por todo o Brasil, facilitando o acesso aos nossos produtos e permitindo que o  consumidor tenha um pedacinho de Gramado na sua casa.