Entre o folclore, a literatura e a música

Entre o folclore, a literatura e a música

Coluna de Luiz Gonzaga Lopes destaca o 16º Festival Internacional de Folclore de Nova Prata, a 4ª Feira Além da Feira, o Congresso da Abralic e o início do programa "Meio Desligada"

Companhia Nacional de Danças Bayanihan, das Filipinas, foi a vencedora do Festival Internacional de Folclores de Nova Prata, em 2019

publicidade

Multiculturalidade do folclore em Nova Prata 

 Único festival do gênero das Américas a integrar o circuito mundial de festivais competitivos da Federation of International Dance Festivals (Fidaf), o Festival Internacional do Folclore de Nova Prata (Finfp) chega a sua 16ª edição em 2020. Em edição principalmente virtual, nos dias 5 e 6 de dezembro, grupos de 13 países, além do Brasil, de nações distantes e distintas quanto África do Sul e Casaquistão, participam da disputa. Em 2019, o vencedor foi o representante das Filipinas, a Companhia Nacional de Danças Bayanihan. Na votação popular, deu State Dance Ensemble (URAL), da Rússia. O 16º Fifnp será marcada pela Campanha da Solidariedade, que vai arrecadar doações a comunidades e famílias carentes da região. As ações vão desde arrecadação de valores, alimentos, objetos e até mesmo serviços. Normalmente realizado em setembro e por uma semana, a 16ª edição estava fadada a não ocorrer devido à pandemia, mas a força e a mobilização do festival, predominantemente feito por voluntários (mais de 100), tem papel mais relevante a cumprir: o da solidariedade. Com o tema “Os abraços e beijos guardados”, o festival propõe que se soltem os figurinos do armário, as músicas que não foram tocadas e as coreografias que foram enviadas de quatro continentes do mundo, com uma chuva de balões, bandeiras, folclores e solidariedade.  

  

PAÍSES PARTICIPANTES DO 16º FIFNP 

ÁFRICA DO SUL 

BRASIL 

CASAQUISTÃO 

COREIA DO SUL 

CUBA 

HOLANDA 

IRLANDA 

ITÁLIA 

JAPÃO 

LITUÂNIA 

PORTUGAL 

RÚSSIA 

SÉRVIA 

SINGAPURA 

 

Uma Feira que vai Além 

Nem tudo são notícias ruins neste 2020 atravessado pela pandemia da Covid-19. Uma das mais populares feiras independentes de literatura e outras artes está de volta. Em sua 4ª edição, a Feira Além da Feira será virtual e acontecerá nos últimos dois fins de semana de novembro. A programação vai trazer mesas on-line com mais de 30 autores e outros profissionais do mercado editorial! O evento é gratuito e começa no dia 20 de novembro, com a presença de Maria Valéria Rezende. As atividades trazem como tema “Como abalar o sistema literário” e os caminhos alternativos no mercado. A Feira será transmitida com exclusividade nas redes sociais do evento (facebook.com/feiraalemdafeira). A mesa de abertura, na sexta-feira, dia 20, às 21h, contará com a escritora paulista, radicada na Paraíba, Maria Valéria Rezende. Autora de “Quarenta Dias” (romance que tem Porto Alegre como cenário), Rezende é vencedora de prêmios de prestígio como o Jabuti e o São Paulo de Literatura. Seu mais recente romance, “Carta à Rainha Louca”, colocou a autora novamente entre as indicadas ao Jabuti este ano, na categoria romance literário. Os também escritores e organizadores do evento Gabriela Silva, Irka Barrios, Luís Roberto Amabile, Rodrigo Tavares e Tiago Germano completam a mesa de abertura. Nos demais dias, 21 e 22; 28 e 29, haverá mesas às 17h e 19h. As atividades da Feira trazem temas como a publicação de obras, os concursos literários, os suportes como as revistas e os livros, além de gêneros como o romance, a poesia e o conto. O encerramento será no dia domingo, 29 de novembro, às 19h, com bate-papo sobre oficinas literárias com os escritores e professores Carolina Abed Zuppo, Fred Linardi, Jéferson Assunção e Pedro Gonzaga, com mediação de Gabriela Richinitti.  

Literatura para comparar 

Uma das áreas mais instigantes da Teoria Literária, a Literatura Comparada tem seu ápice anual no país com a realização do Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada. A etapa de conferências do Congresso será realizada de 17 a 19 de novembro de forma totalmente virtual.  No biênio 2020-21, a Abralic está sediada em Porto Alegre. No total, até o momento já foram realizadas 156 sessões de simpósios temáticos e 11 mesas-redondas Os encontros foram gravados em vídeo e estão disponíveis no canal da associação pelo youtube.com/channel/UCxTrQI0WX2t214hwumi-mPg. Porto Alegre tem um vínculo histórico com a Abralic, pois o primeiro congresso da associação foi realizado na Ufrgs, em 1988, e uma das principais disseminadoras do conceito no mundo acadêmico foi a professora gaúcha Tânia Franco Carvalhal.  A conferência de abertura será de Waïl Hassan, professor titular de Literatura Comparada na University of Illinois at Urbana-Champaign (EUA) e ex-Presidente da American Comparative Literature Association. Especialista na literatura árabe, ele está escrevendo um livro sobre os árabes e o Islã na literatura e cultura popular do Brasil. O título da conferência é "As relações sul-sul na era do populismo de extrema-direita: a crise dos refugiados sírios na televisão brasileira". Programação completa no https://www.abralic.org.br. O evento é aberto, mas para receber certificado como ouvinte (com cobrança de taxa), as instruções estão no  abralic.org.br/inscricao/ouvinte. 

A música continua na Villa-Lobos 

Com as provações que a pandemia trouxe, também vieram os desafios de a Orquestra Villa-Lobos se tornar mais forte. Desde abril, quando foi interrompido presencialmente o programa de educação musical e os cerca de 600 atendimentos gratuitos semanais em cinco locais da Lomba do Pinheiro, a Orquestra passou a solucionar com as aulas à distância e a produção de seis videoclipes. Quatro clipes foram produzidos por encomenda com contribuição via www.catarse.me/bloco_na_rua. A quinta foi por encomenda como recompensa do Catarse, e a produção mais recente veio por agradecimento da Orquestra a todos os quase 450 apoiadores que doaram perto de R$ 79 mil desde maio.  “É emocionante ver novas crianças e adolescentes chegando e testemunhar a música se tornar importante na vida deles”, comemora a idealizadora e coordenadora do programa, Cecília Rheingantz Silveira.  Os clipes são “O Sol Nascerá” e “Coração Civil” (Ajuris), “O que foi feito devera (de Vera)” (AVM Advogados), “Here Comes the Sun” (Colégio João Paulo I Higienópolis), “Horizontes” (IAB) e o mais reente “Com a Perna no Mundo” (Apoiadores da Orquestra). Confira pelo  https://www.youtube.com/OrquestraVillaLobos. 

Novidade ‘Meio Desligada’ 

Para aproximar o público e artistas durante a pandemia, a cantora, compositora e produtora Miri Brock lançando o programa Meio Desligada, com encontros para discutir música e sonhos com personalidades da cena cultural gaúcha e nacional. A novidade procura recriar a atmosfera dos pequenos shows, em gravações que seguem protocolos de segurança sanitária. O episódio-piloto já está no ar no canal do YouTube da TV Earte, com baile-show com o coletivo instrumental Trabalhos Espaciais Manuais, participação da vocalista e compositora Nina Nicolaiewsky e um sketch humorístico com a atriz e cantora Camila Falcão. A próxima edição estreia no primeiro fim de semana de dezembro. Entre entrevistas e improvisações musicais, Miri apresentará o trabalho das jovens cantoras gaúchas Giovanna Mottini e Ariele. A gravação terá participação à distancia de Vicente Coelho, vocalista da banda carioca Biltre, e do músico Felipe Puperi falando sobre o seu projeto solo, Tagua Tagua. Para assistir, acesse bit.ly/MeioDesligada. 

  


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895