A indefinição de Renato

A indefinição de Renato

O treinador tricolor está dando sinais de desgaste e sem encontrar soluções para os problemas da equipe

Nando Gross

A proposta do Atlético Mineiro e a promessa de investimentos podem seduzir Renato

publicidade

É difícil definir com exatidão quando é chegada a hora de mudar um treinador, ainda mais quando se trata de um profissional bem-sucedido, ídolo do clube e que comandou a equipe nos últimos quatro anos. Renato Portaluppi já estava na história do Grêmio como jogador e agora faz parte dela também na condição de treinador, é sem dúvida um vitorioso e por isso a dúvida, se é chegada a hora de mudar ou seguir em frente com Renato?

O que estou vendo no momento é um Renato dando sinais de desgaste e sem encontrar soluções para os problemas da equipe dentro de campo. O Grêmio está em mais uma final de Copa do Brasil, mas o que preocupa é o mau rendimento dos últimos jogos.

A proposta do Atlético Mineiro e a promessa de investimentos do clube mineiro para a temporada podem seduzir Renato, mas independente do posicionamento do técnico, para o clube, sou da opinião de que chegou a hora de promover uma mudança.

“O pessoal lá do Sul”

O presidente do Internacional, Alessandro Barcellos, se manifestou ao final do jogo contra o Vasco da Gama e deixou clara a sua indignação com o pênalti mal marcado contra o Inter, desperdiçado pelo time carioca. O vice de futebol do Flamengo, Marcos Braz, acostumado a fazer críticas aos árbitros e visitas ao presidente da República, sentiu-se atingido e deu uma resposta típica daqueles que se acham os donos do futebol brasileiro e não admitem que ninguém mais possa se manifestar.

Braz alfinetou Barcellos dizendo que a sua declaração era em “função de ele não estar acostumado ainda a chegar nas finais. Acho que se empolgou um pouco. Eu já passei dessa fase, mas acho que é isso. Está empolgado, até merece essa empolgação, o time dele está bem, mas o pessoal lá do Sul tem que ir devagar com a louça.”

Está bom senhor Braz, mas não tão devagar como o Flamengo em atender às famílias das vítimas da tragédia com os meninos do Ninho do Urubu.

Carimbos e preconceitos

“Eu acho que o Abel Braga está com grande prestígio. Conseguiu passar por cima de algumas críticas absurdas. Faltou um pouco de respeito com o Abelão. Se o Inter for campeão, ele será o principal responsável".

A frase é de Paulo Roberto Falcão e tem enorme relevância exatamente pela representatividade de quem está dando o depoimento. Adoramos colocar carimbo nas pessoas, nas mais diversas profissões e o mais usual é chamar alguém de “ultrapassado”. Isso acontece a toda hora e Abel foi mais uma vítima deste carimbo.

O seu trabalho, independentemente de chegar ou não ao título, é um recado para aqueles que a todo instante colocam adjetivos nas pessoas. Cuidado para convicção não virar preconceito.

Nem tudo que é novo e moderno necessariamente será mais eficiente, ainda mais quando estamos falando de conceito de jogo.

Pobre Barça

O Barcelona vem acumulando fiascos na Uefa Champions League. O time catalão vinha de uma derrota no Camp Nou por 3 a 0 para a Juventus e nessa terça-feira foi goleado por 4 a 1 pelo Paris Saint-Germain. Foi a segunda pior derrota em casa do Barcelona na história da Liga dos Campeões da Europa, ficando atrás apenas do 4 a 0 sofrido contra o Dínamo de Kiev na temporada 1997/98, pela fase de grupos. O último jogo de mata-mata havia  sido o vexatório 8 a 2 para o Bayern de Munique na edição passada. Vemos um Barcelona que atualmente não assusta mais ninguém.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895