Domingo de Gre-Nal

Domingo de Gre-Nal

"Estratégia, atitude, foco, personalidade e o claro entendimento do que representa este clássico são fatores que fazem a diferença na hora de definir quem irá levantar a taça."

Nando Gross

Beira-Rio recebe neste domingo o 431º clássico entre Inter e Grêmio

publicidade

A maior rivalidade do país está mais acirrada neste final de semana com a realização do clássico Gre-Nal, no domingo, primeira partida das duas que irão definir o campeão gaúcho de 2021. Tiago Nunes rapidamente recuperou a confiança no ambiente gremista, que ficou muito abalado após a eliminação da equipe ainda na fase classificatória da Libertadores. O Internacional vive um clima de total incerteza após a sequência de fracassos fora do Beira-Rio, como o Gre-Nal da Arena, Always Ready, Táchira e Juventude.

Na formação de uma equipe temos quatro etapas: a técnica (qualidade do atleta), a organização coletiva, que é o componente tático e estratégias para o jogo, a preparação física e a preparação mental. Tenho insistido que em determinados jogos o último quesito se torna o mais importante. Não estamos falando de motivação, mas sim de foco no jogo, concentração até o final da partida, sem intervalos e personalidade suficiente para saber lidar com as situações adversas que irão ocorrer durante a partida. Nos últimos oito Gre-Nais, o Grêmio ganhou cinco, tivemos dois empates e o Inter venceu apenas uma vez e sob o comando do técnico Abel Braga. Eduardo Coudet nunca entendeu como deveria preparar a sua equipe para o clássico, Ramírez repetiu o erro na sua estreia e o resultado foi um time apático e mais uma derrota. Esta superioridade poderia ser simplesmente explicada pelo fato de o Grêmio ter um time melhor, mas em 2020 o Inter liderou o Brasileiro e disputou o título até a última rodada, o Grêmio nem vaga direta para a Libertadores conseguiu, portanto, não se sustenta este argumento.

O Grêmio chegou mal no primeiro clássico da temporada, Renato estava sob enorme pressão, mas outra vez derrotou o seu maior rival e ganhou fôlego para seguir em frente. A eliminação na Pré-Libertadores é que precipitou a sua saída, mas no Gre-Nal seguia mantendo a vantagem.

O único clássico vencido pelo Inter destes oito, teve o componente mental como fator decisivo. O time de Abel Braga não apresentou um grande futebol, esteve próximo da derrota quando sofreu o primeiro gol, mas fez uma virada espetacular nos minutos finais porque teve foco para isso, personalidade para reagir e não se abater como se a derrota fosse certa depois de sofrer um gol. Abel soube preparar mentalmente a sua equipe para o jogo e foi desta forma que ele chegou à vitória. Tiago Nunes fará a sua estreia no Gre-Nal, ele sabe da rivalidade porque é gaúcho de Santa Maria e com certeza não irá cometer o erro de preparar a sua equipe como se fosse para um jogo qualquer.

O Inter parece ter neste momento mais recursos técnicos, por outro lado o Grêmio tem um grupo mentalmente mais preparado para o confronto. Apontar favorito é sempre um risco em se tratando de clássico, se o time colorado conseguir ter o comportamento emocional que é preciso num clássico pode fazer valer o fator local, principal aliado na temporada, e chegar à vitória. Estratégia, atitude, foco, personalidade e o claro entendimento do que representa este clássico, são fatores que fazem a diferença na hora de definir quem irá levantar a taça.

A Conmebol envergonha

O futebol segue mandando mensagens ao mundo de que não dá a menor importância para a pandemia que estamos vivendo, desde que as competições continuem normalmente. O jogo entre América de Cali e Atlético Mineiro, realizado quinta-feira no estádio Romelio Martínez, em Barranquilla, teve inúmeras interrupções devido ao verdadeiro cenário de guerra no confronto entre milhares de manifestantes e a polícia colombiana nas ruas que cercam o estádio. Bombas, pedras e balas de borracha rolavam do lado de fora enquanto acontecia o jogo válido pela Copa Libertadores. A cada estouro de bomba vinha a fumaça que invadia o gramado e paralisava a partida. Uma vergonha!

A vez de Tiago Nunes

Tiago Nunes só venceu desde que chegou ao Grêmio. É verdade que não enfrentou ainda grandes adversários, mas o time gremista vinha enfrentando dificuldades anteriormente contra adversários também de pouca expressão, como aconteceu na Pré-Libertadores diante do Independiente del Valle, que está longe de ser um dos grandes do futebol no continente. Teoricamente o seu jogo mais difícil será neste domingo quando irá enfrentar o Inter, mas de qualquer forma até agora ele conseguiu dar uma estabilidade à equipe que havia se perdido com a antiga comissão técnica.

O jogo de posição

Não é o modelo de jogo que define o sucesso de uma equipe e sim a sua execução. Ramírez não precisa mudar seus conceitos, mas eles precisam ser melhor aplicados em campo. Há uma regra que é básica no jogo de posição: a partir de uma definição de estrutura, a movimentação e ocupação de espaço vai se dar de acordo com a posição da bola, dos companheiros e dos adversários, isso exige “movimentação” e não jogadores estáticos à espera da bola. O outro ponto decisivo é a compactação, a equipe estando próxima facilita a pressão no adversário logo após a perda da bola. Neste modelo, a forma como você ataca vai definir a forma de como irá se defender. O problema do Inter é colocar na prática o que por enquanto ainda se encontra apenas no plano teórico.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895