Lesões que podem decidir um campeonato

Lesões que podem decidir um campeonato

Inter perdeu três titulares na sua equipe, um em cada setor

Nando Gross

publicidade

Cada vez mais fica provada a importância de um grupo de jogadores de qualidade e em quantidade suficiente para suprir as demandas da temporada. O Inter acaba de perder mais um titular e pelo mesmo motivo, ruptura do ligamento cruzado anterior do joelho direito. A mesma lesão que afastou Guerrero e Saravia agora retira o meia Boschilia do restante da temporada. O Inter ocupa a liderança do Brasileirão e ainda tem Libertadores e Copa do Brasil pela frente. O dilema agora é grande. Está claro que teria de ir atrás de um substituto para a função, mas a questão financeira pesa, já que a previsão de déficit no clube gira em torno dos R$ 63 milhões para 2020.

Com as opções que tem no elenco, Eduardo Coudet deve insistir com Marcos Guilherme na função, mas com certeza vai buscar alguma alternativa, que pode passar por Praxedes, Peglow, ou até mesmo Leandro Fernández. D’Alessandro seria o jogador para a função, mas a idade o impede de ter uma sequência mais forte de jogos. O que fica claro é que no calendário brasileiro é fundamental um elenco com qualidade e quantidade para suportar as exigências de tantas partidas num curto espaço de tempo. O Inter perdeu três titulares na sua equipe, um em cada setor, e isso pode ser decisivo no restante da temporada.

Mais uma tentativa para o meio

O Grêmio tenta resolver a sua carência no meio desde a saída de Luan, com a contratação do uruguaio Gastón Ramírez, que atua na Sampdoria. Canhoto, de habilidade, Ramírez foi revelado pelo Peñarol em 2009. No ano seguinte foi para o Bologna, da Itália, e em 2012, chegou ao Southampton, da Inglaterra. Jogou ainda no Hull City e Middlesbrough até retornar à Itália, contratado pela Sampdoria em 2017.
Gastón jogou todas as partidas da Sampdoria no início do Campeonato Italiano, mas estaria disposto a se transferir para o Grêmio e por isso seria um dos aliados do Tricolor para viabilizar a transação. O fato é que, com o fracasso de Thiago Neves, o mau desempenho de Robinho até agora e as frequentes lesões de Jean Pyerre, o time de Renato vem enfrentando dificuldades para suprir esta função.

A democracia do Barça

Josep Maria Bartomeu apresentou a sua carta de renúncia e não é mais presidente do Barcelona. No mês passado, um grupo de sócios reuniu mais de 20 mil assinaturas para a abertura de um processo de moção de censura. O estatuto do Barça prevê que são necessárias as assinaturas de 15% do colégio eleitoral do clube, que no momento correspondem a 16.520 sócios. Foram colhidas 20.731 após ampla campanha nas redes sociais.
Bartomeu e a diretoria do Barcelona optaram pela renúncia em vez de enfrentar todo o processo. O atual mandato do dirigente ia até junho de 2021. Diante da crise, o próprio presidente havia antecipado as eleições para março do ano que vem, mas diante do quadro atual decidiu por se afastar. Esta decisão mostra a força dos sócios do Barça que não aceitam o processo de desmanche feito e o esgotamento na relação do maior jogador da história do clube com o atual mandatário. O fato é que a saída de Bartomeu dá esperanças de que Lionel Messi não deixe a Catalunha e fique no Barça até a sua aposentadoria.
 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895