O carteiraço de Abel

O carteiraço de Abel

Nando Gross

Abel chegou a anunciar que não haverá transição para o próximo técnico

publicidade

Aparentemente os novos dirigentes colorados aceitaram todas as imposições de Abel Braga para que ele aceitasse cumprir o contrato que havia assinado. Inclusive aceitaram não anunciar oficialmente o nome do novo contratado, Miguel Ángel Ramírez, que é tratado como um fantasma pelos dirigentes que só repetem o chavão: “Abel é o nosso técnico”.

Desde cedo defendi que o melhor para o time seria a manutenção de Abel até o final do Brasileirão, mas não na condição de “imperador” e sim como treinador. Abel chegou a anunciar em entrevista que não haveria transição, como se fosse o novo vice de futebol que estivesse assumindo o clube. E então, como fica a nova política de futebol da diretoria que assumiu? Ela foi anunciada em diversas entrevistas, o que houve, ficou arquivada ou é uma mudança de rumo? Como não há transparência nas informações, nos resta o trabalho sério dos jornalistas que acompanham o dia a dia do clube e, pelo que vejo, Ramírez no momento está proibido de botar os pés no Beira-Rio, o que me parece muito estranho.

É preciso que o novo treinador possa estar dentro do clube e tenha acesso às informações do elenco. Evidente que o time terá o comando de Abel até o final do Brasileirão, mas a temporada 2021 começa logo a seguir, e não haverá tempo algum de preparação para Ramírez trabalhar. A decisão de agora poderá comprometer todo o trabalho da próxima temporada se a situação não for bem administrada. Abel é importante, mas não é ele o nome escolhido pela diretoria para o futuro do clube, então ou ele aceita a chegada de Ramírez para o início de um período de transição, ou o melhor é fazer a mudança imediatamente.

O executivo de futebol contratado, Paulo Bracks, foi apresentado ontem e sobre tudo o que falava, tinha de pontuar que se tratava de um projeto para somente depois do Brasileirão. Também disse que não falou com nenhum outro técnico, repetindo o que já havia sido dito pelo vice de futebol, João Patrício Hermann, de que o técnico do Inter é Abel Braga. Por mais que Bracks já esteja no clube e comece a formar a sua equipe de trabalho, jamais subestimem a importância do treinador, é ele a referência dos atletas, a sua qualidade é que vai determinar o rendimento da equipe, deixá-lo de fora de todo o processo inicial de preparação me parece arriscado.

Não concordo, mas pelo que estou acompanhando, para manter Abel, os novos dirigentes vão adiar seus projetos para 25 de fevereiro, e até lá ninguém falará sobre o futuro ou novo treinador para não desagradar Abel.

Redução da maioridade

Está na hora de reduzirmos a maioridade profissional dos jogadores de futebol da dupla Gre-Nal. Por aqui ainda tratamos como garotos, meninos ou guris, jogadores de 23 anos, enquanto em outros países com esta idade já são veteranos afirmados no elenco. Para que os clubes possam desfrutar por mais de uma temporada de seus craques da base, eles precisam chegar mais cedo ao time profissional, não apenas ficarem no grupo treinando sem entrar em campo, mas realmente estarem nos planos do treinador.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895