O Inter não pode mais errar

O Inter não pode mais errar

Não há mais tempo para negociar, agora é decisão e Abel precisa urgente recuperar a ambição e intensidade que a equipe demonstrou no Morumbi.

Nando Gross

Esperança de gols é Yuri Alberto, que marcou três contra o São Paulo no Morumbi

publicidade

O medo tomou conta dos colorados após a derrota para o Sport Recife em pleno estádio Beira-Rio. E não é para menos, afinal o time colorado precisava vencer um adversário que luta contra o rebaixamento para abrir quatro pontos do Flamengo, faltando apenas três rodadas para o encerramento do Brasileirão. Ao perder o jogo, o Inter manteve a diferença de apenas um ponto e o pior, concedeu ao Flamengo um privilégio que até então era somente seu, o de depender de suas próprias forças, sem precisar de resultado paralelo. Neste momento, tanto Inter como Flamengo dependem apenas de si.

Um fator que preocupa é o fato de que o Inter desde o jogo contra o São Paulo vem mostrando queda de rendimento, mesmo tendo vencido o Gre-Nal e o Bragantino, as atuações não foram boas e o próprio Abel Braga reconheceu isso. Contra o Athletico Paranaense se mostrou sem ambição e contra Sport o Inter até começou melhor, atacando, buscando o gol, mas depois da expulsão de Uendel e as trapalhadas de Marcelo Lomba, parou de jogar e não conseguiu mostrar poder de reação, saindo de campo derrotado.

Evidente que o Inter ainda é o líder e depende apenas dos seus resultados, mas precisa voltar a encarar os jogos como vinha fazendo, jogando como se fosse o último e não projetando o próximo como fez em Curitiba. No jogo contra o Athletico Paranaense, Abel escalou Marcos Guilherme não para atacar o adversário, mas para marcar o lateral esquerdo Abner. Na segunda etapa, ao invés de tentar ganhar, tratou de administrar o empate.

Na derrota para o Sport, Abel tirou Praxedes e colocou Léo Borges preocupado com os avanços do lateral direito Patrick. Poderia ter mantido a ideia de uma linha de três zagueiros com Dourado, Cuesta e Lucas Ribeiro; Rodinei, Dourado, Praxedes, Caio Vidal e Patrick; e Yuri Alberto. Faltou ambição, mesmo estando com um a menos, o Inter estava em campo defendendo a liderança e a possibilidade muito concreta de se aproximar do título.

O Inter precisa voltar a encarar seus jogos como fez contra o São Paulo, no Morumbi, marcando alto desde cedo, pressionando o “homem da bola” e não deixando o adversário respirar. Contra Athletico Paranaense e Sport, o Inter foi lento, acadêmico, totalmente fora das características que o levaram à liderança do campeonato.

Para o jogo contra o Vasco, Abel não terá Patrick, um dos principais jogadores da equipe. A alternativa mais indicada para o momento seria o ingresso de Peglow, que tem drible e ambição ofensiva, pois não há outro resultado que interesse ao Inter que não seja o de vitória. Um empate com o Vasco, combinado com uma vitória do Flamengo em cima do Corinthians e o Inter dá adeus ao campeonato.

Não há mais tempo para negociar, agora é decisão e Abel precisa urgente recuperar a ambição e intensidade que a equipe demonstrou no Morumbi. Qualquer erro pode ser decisivo para a perda do título.

Renato no Galo

O Atlético Mineiro está perdendo Jorge Sampaoli para o futebol francês, mas a diretoria alvinegra não considera um grande prejuízo, na medida em que a saída do argentino renderia cerca de R$ 4 milhões ao clube, valor de multa rescisória prevista em contrato. A avaliação interna do trabalho de Sampaoli é de que ele é positivo, mas muito caro. O nome preferido pelos mineiros é o de Renato Portaluppi, que tem boa relação com Rodrigo Caetano, atual diretor de futebol e um estilo de jogo ofensivo, o que se encaixaria na filosofia atual implantada por Sampaoli. Confesso que não vejo muitas semelhanças entre eles, mas os dirigentes veem e vão tentar contratar Renato.

O Grêmio precisa saber antes

O Grêmio não pode ficar esperando por uma decisão de Renato até o dia sete de março, quando se encerra a Copa do Brasil. Não há prazo na sequência para começar um novo trabalho, ainda mais se o clube não garantir vaga direta na Libertadores e tiver de encarar a primeira fase eliminatória. O Grêmio já manifestou a intenção de contar com Renato para a próxima temporada e aguarda por uma resposta do treinador, que aparentemente só quer falar depois da Copa do Brasil. Eu espero que a decisão já esteja tomada e ambos saibam o que irá acontecer, mesmo que não anunciem publicamente, porque o Grêmio se ver surpreendido sem treinador de uma hora para outra seria muito ruim.

Renato deve ficar ou sair?

O que está sendo analisado agora é se seria interessante para o Grêmio a manutenção de Renato ou se chegou a hora de mudar, porque não está em questão o seu trabalho como um todo, isto me parece indiscutível de que é muito bom. O Grêmio não ganhava títulos há muitos anos e Renato venceu a Copa do Brasil, a Libertadores, uma Recopa e também o tricampeonato gaúcho, podendo ainda conquistar a segunda Copa do Brasil na disputa com o Palmeiras. Esta sequência de Renato, mantendo o Grêmio sempre entre os melhores do Brasil é incontestável, o que é preciso definir é se ele deve ficar ou chegou o momento de buscar um outro profissional.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895