Tiago Nunes sob pressão

Tiago Nunes sob pressão

"Ou o Grêmio volta a vencer, ou será inevitável a mudança da comissão técnica."

Nando Gross

O clima para Tiago Nunes é de absoluta pressão para o jogo de hoje à noite

publicidade

Nenhum planejamento em um grande clube de futebol sobrevive à ameaça de rebaixamento. O Grêmio jogou cinco partidas até agora pelo Campeonato Brasileiro e não venceu nenhuma, tendo perdido três e empatado duas. No momento, ocupa a lanterna da competição. O desconforto no ambiente gremista é muito grande e a insatisfação da torcida, manifestada nas redes sociais, torna o clima para Tiago Nunes de absoluta pressão para o jogo de hoje à noite em Caxias do Sul.

Por mais que os dirigentes gremistas acreditem que o técnico possa retomar o rumo e fazer com que a equipe volte a crescer, apenas com bons resultados o ambiente poderá se normalizar. Além do time não render adequadamente dentro de campo, o episódio envolvendo Matheus Henrique, discutindo publicamente de forma descontrolada com o treinador, demonstra que dentro do vestiário há também um clima de tensão e insegurança.

Neste momento não adianta cobrar a diretoria por uma manifestação mais concreta com relação a permanência do treinador, nem os dirigentes têm controle sobre isso. Ou o Grêmio volta a vencer, ou será inevitável a mudança da comissão técnica. Nenhum dirigente se sente confortável em fazer uma troca em tão pouco tempo, mas um grande clube não convive com zona de rebaixamento, e seus torcedores, conselheiros, dirigentes de outras, enfim, o contexto acaba por determinar a mudança.

É neste ambiente que o técnico Tiago Nunes vai dirigir o time do Grêmio hoje à noite contra o Juventude, em Caxias do Sul, totalmente pressionado.

Hora de mostrar pelo que vai brigar

Nos próximos 10 dias o Internacional terá quatro jogos que irão testar as verdadeiras possibilidades do time neste Brasileirão. Hoje à noite é a vez do Palmeiras, no Beira-Rio. No final de semana pega o Corinthians, na Arena Itaquera, volta a Porto Alegre para enfrentar o São Paulo e depois pega o Grêmio na Arena.

Entendo a necessidade de rodar o grupo de jogadores para minimizar o risco de lesões e manter o nível das atuações, mas este segundo quesito é o mais importante. Contra o América-MG, Aguirre tentou repetir o mesmo modelo de jogo aplicado contra a Chapecoense, mas os jogadores escalados não tinham as características para executar e por isso o rendimento foi bem inferior.

É importante a preservação, mas o mais importante é ter sempre um time competitivo e que busque sempre o seu melhor rendimento. Nunca gostei da ideia de escolher jogos mais ou menos importantes, isto até pode acontecer em competições eliminatórias, mas no Brasileirão todas as partidas valem a mesma coisa.

Esta sequência de quatro jogos vai determinar o que time do Inter poderá almejar neste campeonato brasileiro.

Quanta diferença!

É constrangedora a diferença de qualidade dos jogos que estamos acompanhando na Eurocopa e na Copa América, realmente estamos muito abaixo. Temos apenas duas seleções em condições de disputar com os europeus, Brasil e Argentina, mas o nosso continente está sofrível em termos de futebol e isto é um reflexo da gigantesca diferença financeira dos clubes europeus em relação aos sul-americanos e, é claro, também da qualidade de vida dos seus povos.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895