Um feito para a história

Um feito para a história

O Inter conseguiu no último domingo um feito histórico ao aplicar no Flamengo a maior goleada de um time gaúcho no Maracanã.

Nando Gross

Autor de três gols, Yuri Alberto foi o destaque nos 4 a 0 que o Colorado aplicou no Flamengo em pleno Maracanã

publicidade

Numa temporada ruim até o momento, sem nenhuma possibilidade de conquista de títulos, o Inter conseguiu no último domingo um feito histórico ao aplicar no Flamengo a maior goleada de um time gaúcho no Maracanã. 4 a 0 nunca acontecera, muito menos na circunstância atual, onde um é o gigante da América e o outro sonha com recuperação e uma possível vaga para a Libertadores do ano que vem.

O técnico Diego Aguirre organizou o Inter de uma forma muito competente, a proposta de um jogo reativo não define que ele será defensivo, pelo contrário, é reativo exatamente porque reage quando tem a possibilidade e isto deve acontecer toda a vez que tiver retomado a posse de bola. Aguirre percebeu que não podia deixar o time do Flamengo confortável, apenas se defendendo, então fechou o time em duas linhas de quatro, com Dourado e Lindoso por dentro, e Edenilson e Patrick pelos lados. À frente da segunda linha estava Taison para iniciar o contra-ataque tendo Yuri Alberto como opção.

O fato é que o planejamento de Aguirre funcionou e o Inter fez todos os gols que desperdiçou no empate contra o Olímpia, quando acabou desclassificado da Libertadores. Ninguém jogou mal, todos os atletas estiveram em alto nível, mostrando que a diferença está o trabalho coletivo, quando uma equipe está bem ajustada, as individualidades crescem.

Eu manteria o time da mesma forma, pode até alterar algum jogador, mas o sistema tático e o modelo de jogo acredito que Aguirre tenha encontrado.

Brenno ou Gabriel Chapecó?

Brenno foi convocado para a seleção olímpica do Brasil por suas atuações como titular do Grêmio, isto significa que ele vinha jogando bem, logo deveria chegar e reassumir a sua posição.

Acontece que, na sua ausência, Gabriel Chapecó assumiu o lugar e fez com que o Grêmio garantisse alguns resultados exclusivamente por suas atuações decisivas, como aconteceu na última vitória, na segunda-feira contra a Chapecoense. Não fosse por ele e com menos de 10 minutos o Grêmio estaria perdendo de dois a zero. Para o próximo jogo, sábado à noite contra o São Paulo, seria uma injustiça não escalar Gabriel Chapecó como titular.

A estranha saída de Messi do Barça

Lionel Messi já é do Paris Saint-Germain e usará a camisa 30, número que escolheu por ser o da sua estreia profissionalmente com a camisa do Barcelona em 2004. A 10 do PSG continua sendo de Neymar. O luto em Barcelona custará muito a passar e os erros administrativos que levaram à saída do maior nome da história do clube jamais poderão ser esquecidos. A pergunta que fica é por que Joan Laporta, que venceu as eleições para a presidência do Barcelona garantindo a renovação de Messi, desistiu no último instante?

O diário La Vanguardia, com sede em Barcelona, revelou a escolha do clube por apoiar a ideia da Super Liga da Europa, descartando uma tentativa de acordo para capitalizar os clubes espanhóis. Para isso, teria sacrificado a própria permanência de Messi. Os contratos para a permanência do craque, segundo o jornal, estavam prontos há dias e apenas aguardando as assinaturas. De uma hora para outra, tudo mudou.

Segundo o La Vanguardia, o conflito dos advogados de ambos os lados foi muito forte e a decepção de Messi e seu pai diante da reviravolta, foi muito grande. Lionel Messi disse que já comunicara a família que estava tudo certo e que eles iriam permanecer em Barcelona, portanto não esperava sair. O que teria acontecido então para este ser o desfecho?


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895