As razões da irritação de Leite contra Bolsonaro

As razões da irritação de Leite contra Bolsonaro

Governador fez duras críticas ao presidente sobre enfrentamento da pandemia

Mauren Xavier (interina)

publicidade

Poucos dias após o Estado entrar em bandeira preta por conta do avanço da contaminação e o esgotamento da estrutura de saúde, o governador Eduardo Leite (PSDB) não poupou críticas, ontem à tarde, ao presidente Jair Bolsonaro. Diferente de outros momentos, inclusive durante a pandemia, Leite não só subiu o tom contra o presidente como o responsabilizou por parte da situação da pandemia no país.

As razões de irritação não são poucas. Na última semana, Leite assumiu para si a responsabilidade pelo avanço da pandemia ao suspender a cogestão com prefeitos. Desde que decidiu pelas medidas mais duras de restrições, tem recebido críticas dos grupos contrários. Porém, o conjunto de informações distorcidas compartilhadas, inclusive por parlamentares, contestando a utilização dos recursos destinados à saúde no Estado foi a gota d’água. Principalmente, porque os recursos indicados eram os previstos na Constituição.

Outro fator de irritação foi que, neste momento, que é considerado o mais crítico, Leite precisar dividir o tempo para rebater as informações, que segundo ele, “são distorcidas para causar confusão” e “desconfianças”. “Temos que focar toda a nossa energia para vencer a pandemia”, ressaltou. Além disso, ao rebater as acusações, Leite ressaltou que a discussão nunca foi por recursos, mas por políticas unificadas. “Nunca acusamos o governo federal de falta de dinheiro, mas sim do excesso de confrontos em várias frentes”, apontou.

O novo estremecimento da relação entre governadores e o presidente, que já ocorreu ao longo deste um ano de pandemia, se dá no pior momento possível, em que a união é fundamental. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895