Aulas têm retomada parcial no RS

Aulas têm retomada parcial no RS

Vacinação de professores e demais trabalhadores da educação ainda é incerta

Taline Oppitz

244 escolas preencheram o formulário de monitoramento na semana epidemiológica de 23 a 29 de maio

publicidade

As situações em municípios gaúchos, considerando a possibilidade de retomada das aulas presenciais, são distintas. O retorno às salas de aula foi viabilizado pelo último decreto do governador Eduardo Leite (PSDB), que colocou todo o Estado em bandeira vermelha, após derrota do Executivo na Justiça quando tentou permitir a volta mesmo com a vigência da bandeira preta.

Em Santa Maria, o prefeito Jorge Pozzobon (PSDB) afirmou que a estrutura para a retomada das aulas está pronta desde março. Pozzobon determinou ainda, por meio da Procuradoria Geral do Município (PGM), manifestação ao Supremo pela vacinação de professores e demais trabalhadores da educação pública. O governo gaúcho já adotou a mesma iniciativa, mas até agora, só obteve o silêncio do relator do processo, ministro Ricardo Lewandowski.

Em Canoas, o prefeito Jairo Jorge (PSD) inovou e consultou a população para tomar a decisão. Para participar da consulta, os canoenses precisaram comprovar dados como CPF e CEP. Foram 14.005 válidos. Destes, 75,27%, ou 10.540 optaram pelo retorno às aulas apenas após a vacinação dos professores. Foram descartados 2.738 votos por CPFs inválidos ou votação dupla. Entre os que têm filho na escola, 71% não querem a volta presencial. “Concordo com a decisão da população, mas não vamos ficar de braços cruzados. Trabalharemos pela vacinação, estamos distribuindo uniformes e material escolar e na próxima semana iniciaremos a avaliação sobre a aprendizagem dos alunos”, disse Jairo Jorge.

Em São Leopoldo, a decisão de não retomar as aulas presenciais foi tomada pelo prefeito Ary Vanazzi (PT). “Ainda não temos segurança em função dos números da pandemia, mas seguiremos, por ora, até que o cenário melhore e que os professores sejam vacinados apostando nas aulas virtuais”, disse. Segundo Vanazzi, está sendo realizado trabalho junto às famílias dos cerca de três mil alunos que não aderiram às aulas. No total, são 33 mil alunos. Segundo Vanazzi, a prefeitura viabilizou Internet para todos. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895