Comandada por Melo, Granpal pressiona por bandeira vermelha

Comandada por Melo, Granpal pressiona por bandeira vermelha

Manifestação será apresentada ao Gabinete de Crise na reunião de quinta-feira

TALINE OPPITZ

Melo assumiu a presidência na Granpal no início do mês

publicidade

O prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo (MDB), coordenou nesta terça-feira, a primeira reunião como presidente da Granpal que reúne os municípios da região Metropolitana. Duas decisões foram tomadas e serão levadas por Melo à reunião de quinta-feira do Gabinete de Crise do governo gaúcho. Segundo Melo, há entendimento maduro entre os gestores de que a região tem condições de retornar à classificação de bandeira vermelha a partir da próxima semana.

O Rio Grande do Sul está há oito semanas consecutivas integralmente pintado de preto. O emedebista, defensor incisivo da necessidade de reabertura da cidade, afirmou que, de acordo com os prefeitos do grupo, os números de internações e de novos casos estão diminuindo. “Vou defender junto ao governador a bandeira vermelha, que permite maiores flexibilizações, mas com o rigor dos protocolos. Não será gandaia”, disse Melo à coluna. 

Já há, no governo do Estado, expectativa de que no próximo mapa de Distanciamento Controlado, que será anunciado na sexta-feira, a cor vermelha volte a aparecer. O temor, no entanto, é o de que prefeitos flexibilizem demais, adotando regras da bandeira laranja, imediatamente anterior, situação permitida pela cogestão.

Analisando o risco, Melo argumenta que regras da bandeiras foram permitidas, mesmo com o Estado todo em preto, mas com travas, para impedir liberações que ampliassem os riscos. É justamente esta questão que está em análise pelos integrantes da gestão Leite. Melo solicitou ainda estudo, que entregará ao governador, comparando o Rio Grande do Sul com outros estados.

“Segundo o levantamento detalhado, o Estado teve queda de mais de 7% do PIB e perdeu mais de  20 mil postos de empregos. O número de mortos aqui é de 202 por 100 mil habitantes. Santa Catarina, no mesmo período, gerou 53 mil empregos e os mortos por 100 mil habitantes estão em 175. Afinal de contas essa política de abre e fecha está salvando vidas? Está correta? Todos somos alunos neste tema, mas precisamos debater e participo para tentar colaborar”, afirmou o prefeito.

Na reunião da Granpal também foi decidida a elaboração de grupo de secretários de Mobilidade dos municípios. O objetivo é o de criar, no curto prazo, projeto para a mobilidade da região Metropolitana a ser apresentado ao governador. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895