Denúncias de fura filas da vacina no Estado já chegam a 206

Denúncias de fura filas da vacina no Estado já chegam a 206

Apenas no canal do MP são 117 acusações. Conselho do órgão elaborou nota e priorizará investigações

TALINE OPPITZ

Já foram apresentadas 117 casos de fura-filas para vacina contra Covid-19

publicidade

Lançado segunda-feira pela Secretaria Estadual da Saúde, o sistema de denúncias de fura-filas da vacinação no Rio Grande do Sul já contabiliza 89 acusações de diversos municípios gaúchos. Em menos de 24 horas. A iniciativa tem o apoio do Ministério Público, que também conta com canal para contatos. Segundo o SIAC (sistema de denúncias do MPRS), de sexta-feira, até o momento foram apresentadas 117 casos de fura-filas. Entre os denunciados, que não integram o grupo prioritário da fase um da imunização, mas teriam recebido a vacina, estão dentistas, enfermeiros que não atendem pacientes com Covid-19, farmacêuticos, entre outros.

Há pouco, o Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais dos Ministérios Públicos dos estados e da União, elaborou nota após reunião, em Brasília. O texto manifesta veemente reprovação em face dos numerosos episódios de violação das ordens de prioridade para a aplicação das vacinas contra a Covid-19 estabelecidas pelas autoridades sanitárias. “As condutas de quem burla a fila de prioridade para receber a vacina e de quem presta auxílio para que isso aconteça, além de serem moralmente reprováveis, têm graves repercussões criminais, civis e administrativas”, diz trecho da nota. Segundo o Procurador-geral de Justiça do Rio Grande do Sul, Fabiano Dallazen, que comanda o grupo, os integrantes do MP estabeleceram que as investigações dos casos terão absoluta prioridade. “Nos casos de autoridades públicas que praticarem a ação, claramente há crime de ato de improbidade administrativa. Em episódios envolvendo outras pessoas, estamos averiguando qual a conduta adequado para a imposição de sanções e se elas se darão também no campo criminal”, disse Dalazzen à coluna, após a reunião na Capital federal. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895