Finanças e investimentos são carros-chefe de Eduardo Leite

Finanças e investimentos são carros-chefe de Eduardo Leite

Feitos da sua gestão no governo do RS são os principais atributos a seu favor na corrida eleitoral que se aproxima

Mauren Xavier (Interina)

Nesta quinta-feira, o governador apresentou novos investimentos do programa Avançar

publicidade

O resultado das finanças públicas, apresentado nesta quinta-feira pela Secretaria Estadual da Fazenda, que apontou o primeiro superávit em 12 anos, associado aos recentes investimentos anunciados, em sequência dentro do projeto Avançar, pelo governo estadual, mostram-se como os principais carros-chefe do governador Eduardo Leite (PSDB) para a eleição de outubro próximo. Eles podem ser utilizados para tentar se cacifar na disputa presidencial ou mesmo, caso mude de ideia, na corrida pela reeleição ao Palácio Piratini. Em último caso, podem ainda ser usados na construção do seu sucessor.

No caso da disputa presidencial no ninho tucano, o principal adversário, o governador de São Paulo, João Doria, não tem deixado para menos. Ontem mesmo, prestes a deixar o comando do Palácio dos Bandeirantes, ele anunciou reajuste para duas forças importantes entre os servidores. O projeto prevê aumento de 20% a profissionais de saúde e segurança pública, e 10% aos demais já a partir de março. Os benefícios ainda precisam de aval da Assembleia Legislativa do Estado (Alesp). Mesmo assim, têm impacto importante e ganham simpatia, algo que Doria precisa. E, assim, cada um vai mostrando as suas armas.

Em tempo, durante a sua fala na apresentação dos números das finanças públicas, o secretário estadual da Fazenda, Marco Aurelio Cardoso, deixou um recado aos próximos gestores do Palácio Piratini: ‘não engane a população’. A manifestação deve-se porque apesar do equilíbrio financeiro anunciado, ele ainda não é sólido para o longo prazo. De qualquer maneira, enfatizou que a “base” financeira será melhor para o próximo gestor do que a que ele, como secretário, encontrou quando o atual governo tomou posse, em 2019. 

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895