Mundo mostra que flexibilizações precisam de cautela

Mundo mostra que flexibilizações precisam de cautela

No Twitter, Melo defende fim do uso de máscaras em ambientes públicos abertos

Taline Oppitz

publicidade

O governo gaúcho anunciou, após reunião do Gabinete de Crise, a liberação de até 50% do público nos estádios, desde que mantido o distanciamento previsto. O decreto com as novas regras será publicado amanhã. Paralelamente, começa a ganhar fôlego a possibilidade de liberação do uso de máscaras em locais públicos abertos. A legislação sobre o tema é federal, mas a iniciativa já vem sendo adotada em estados como Rio de Janeiro e São Paulo e no Distrito Federal. As flexibilizações ocorrem com base no avanço da vacinação contra a Covid no Brasil e nas quedas nos números de internações e de mortes, fatos que precisam ser comemorados.

Mas a cautela deve ser mantida. Exemplos internacionais não deixam dúvida de que todo cuidado é pouco. Um deles é o da Holanda, que anunciou a retomada de medidas protetivas contra a Covid-19 em função do aumento de casos da doença. Entre elas está justamente a retomada do uso de máscaras em espaços públicos. “As infecções e as hospitalizações estão aumentando rapidamente”, disse o primeiro-ministro Mark Rutte, em entrevista coletiva. O governo holandês também estabeleceu a volta do distanciamento social de 1,5 metro e ampliou a cobrança do passaporte vacinal em locais públicos. Na Inglaterra, a incidência da Covid-19 atingiu, na última semana, seu maior nível desde o início do ano. Cerca de uma em cada 50 pessoas foram contaminadas e foi a quinta semana consecutiva de alta nas taxas, segundo o escritório para estatísticas nacionais do Reino Unido.

O Brasil, apesar dos avanços na batalha contra a pandemia, não pode deixar de olhar para o resto do mundo. Europa e Estados Unidos sempre estiveram pelo menos um passo à frente, para o bem e para o mal, em relação à Covid. Estamos em nova etapa, mais confortável, é verdade, mas ainda longe da normalidade que muitos já consideram uma realidade. 

Sebastião Melo: "acreditamos nas vacinas ou não?"

Prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo (MDB) defendeu a flexibilização do uso de máscaras em locais públicos abertos. Segundo Melo, a Capital é uma das com maiores índices de vacinação do país, o que permite viabilizar certas flexibilizações. “Acreditamos nas vacinas ou não? Eu acredito. A lei sobre o tema é federal, mas politicamente, apoio a liberação”, disse o emedebista em entrevista ao "Esfera Pública", da Rádio Guaíba. Sobre a exigência do passaporte vacinal, estabelecido em decreto do governo gaúcho, Melo afirmou que a prefeitura continuará seguindo as normas. 

 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895