O desafio da volta dos eventos

O desafio da volta dos eventos

Porto Alegre recebeu mais de 200 pedidos de realização de eventos desde sábado

TALINE OPPITZ

publicidade


Com o advento da cogestão na região 10 do mapa de Distanciamento Controlado, integrada por Porto Alegre, de sábado até ontem, a prefeitura já recebeu, por meio do Escritório de Eventos, mais de 200 pedidos de realização de eventos, de menor e de maior porte, que dependem também do aval do governo do Estado. Vice-prefeito e secretário de Desenvolvimento, pasta à qual o escritório é vinculada, Ricardo Gomes (Dem) afirmou que os pedidos envolvem a realização de eventos públicos e privados, que agora também dependem de análise da prefeitura em função da pandemia. O maior deles visa a participação de cerca de 3 mil pessoas. Atualmente, segundo o decreto em vigência do governo estadual, o limite máximo de pessoas é de 2,4 mil. Para eventos a partir de 600 pessoas, a Capital também perde a autonomia da decisão monocrática, que passa a depender também do aval dos demais municípios que integram a cogestão da região 10. Segundo Ricardo Gomes, as autorizações estão sendo liberadas no curto prazo, se tornam quase provisórias e podem ser suspensas a qualquer momento, já que as bandeiras do mapa de Distanciamento Controlado podem mudar semanalmente, dependendo da situação da pandemia no Rio Grande do Sul. As permissões são ainda condicionadas a uma série de protocolos e procedimentos de segurança sanitária. O vice-prefeito disse estar seguro das decisões do Executivo municipal e que não há o temor de uma explosão da casos na cidade. “Hoje, os protocolos nos deixam seguros do que estamos fazendo. Além disto, há o reforço na fiscalização e a análise constante da situação de ocupação dos leitos de UTI. É exaustivo, mas acompanhamos o dia inteiro. O cenário de realização de festas e eventos totalmente clandestinos, sem fiscalização do poder público, é bem pior”, disse Ricardo Gomes à coluna. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895