Pacote do Transporte passará na Câmara e ampliará pressão

Pacote do Transporte passará na Câmara e ampliará pressão

Depois da desestatização da Carris, o próximo projeto a ir à votação prevê revisão nas isenções tarifárias

Taline Oppitz

A desestatização da Carris, aprovada nesta quarta, era um dos projetos mais polêmicos do pacote

publicidade

Após ter aprovado a desestatização da Carris, em sessão da Câmara na quarta-feira, o prefeito Sebastião Melo (MDB) já está contando os votos para colocar em votação, na próxima semana, o projeto de revisão das isenções tarifárias no transporte público. Este é um dos textos que integra o pacote do Transporte Coletivo encaminhado pelo Executivo à Câmara, marcado por maior polêmica.

Das 14 gratuidades existentes, a proposta prevê manter apenas cinco. O projeto prevê ainda que a prefeitura subsidie a passagem para estudantes dos ensinos Médio e Fundamental, respeitando o limite orçamentário. Segundo a EPTC, o impacto total dos projetos das isenções e o relativo à redução dos dias de passe livre por ano na Capital, será de R$ 0,21, no valor da passagem de ônibus.

Veja Também

Na próxima semana, Melo irá sancionar o texto que extingue, de forma gradativa, a função de cobrador de ônibus do atual sistema até 2026, aprovado anteriormente pelo Legislativo. Hoje, a atuação dos cobradores tem impacto de R$ 0,72 no preço da tarifa. O cenário político na Câmara indica que Melo conseguirá aprovar todas as matérias que integram o pacote do transporte coletivo sem maiores problemas. O emedebista conta com ampla base aliada na Casa, diferentemente do antecessor Nelson Marchezan Júnior (PSDB), que tinha uma base de cerca de 12 vereadores.

A aprovação do pacote será uma vitória aos planos da prefeitura, mas ampliará consideravelmente a pressão, pois com as iniciativas avalizadas e colocadas em prática haverá cobranças para a aplicação da redução da tarifa em Porto Alegre, atualmente em R$ 4,80. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895