Reduzindo a velocidade na Câmara de Porto Alegre

Reduzindo a velocidade na Câmara de Porto Alegre

Governo municipal quer minimizar críticas de que estaria "patolando" Legislativo

Taline Oppitz

publicidade

O governo Sebastião Melo (MDB), que já aprovou a privatização da Carris e a extinção gradativa das vagas dos cobradores, ambos textos que integravam o pacote do Transporte Coletivo, decidiu reduzir a velocidade das votações na Câmara. O objetivo é minimizar as críticas de que a prefeitura está “patrolando” as pautas no Legislativo de Porto Alegre.

Os projetos de revisão nas isenções e de redução dos dias de passe livre são os próximos focos da gestão. Os textos já podem ser analisados pelos vereadores na sessão plenária de amanhã. Há possibilidade, no entanto, de que as votações sejam deixadas para a próxima semana, na segunda ou na quarta-feira, viabilizando, simbolicamente, um maior tempo para discussões.

Na prática, segundo afirmou o líder do governo no Legislativo, Idenir Cecchim (MDB), em entrevista ao programa ‘Esfera Pública’, da Rádio Guaíba, os textos já foram amplamente debatidos e estão maduros para a análise pelo plenário da Casa. Apesar das polêmicas e críticas especialmente da oposição às propostas, a prefeitura não deve ter dificuldades para garantir a aprovação.

As matérias relativas à Carris e aos cobradores foram aprovadas por 23 e 21 votos favoráveis, respectivamente. Até aqui, a maior dificuldade da gestão Melo foi na aprovação da Reforma da Previdência, que necessitava de no mínimo 24 votos para aprovação, por alterar a Lei Orgânica do Município. O governo conseguiu os 24 votos cravados, após ampla polêmica e a ameaça de projetos alternativos, que teriam maiores reflexos aos servidores. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895