A nova geração do cooperativismo
CONTEÚDO PATROCINADO

 

A nova geração do cooperativismo

Jovens inseridos em cooperativas mostram envolvimento, otimismo e comprometimento

Por
Correio + Conteúdo

Presidente do Sistema OCERGS Secoop/RS, Virgílio Perius


publicidade

Inovação, tecnologia, informação e agilidade são palavras comuns aos jovens. As chamadas Gerações Y e Z estão se inserindo no mercado de trabalho, e as cooperativas têm sido palco para os novos talentos aprenderem mais sobre o mundo coorporativo. A geração mostra um crescente potencial para contribuir nesse âmbito, seja como cooperador ou colaborador.

Muitas vezes, as cooperativas têm difi­culdades em dialogar com o público jovem. Pensando nisso, o sistema OCERGS Sescoop/RS, órgão de registro, cadastro e certifi­cação das cooperativas gaúchas, criou a plataforma Geração Cooperação. O espaço on-line é dedicado totalmente à construção de conhecimento voltado às novas gerações e se tornou uma importante referência em termos de conteúdo jovem na área.

Lançada em 2012, a plataforma tem a proposta de levar aos jovens o espírito moderno desse modelo de negócio. Segundo o presidente do Sistema OCERGS, Vergílio Perius, a plataforma é uma excelente forma de comunicação. “Percebemos uma fantástica adesão com o projeto Geração Cooperação. É uma ferramenta muito forte para incentivar a juventude a conhecer mais sobre o cooperativismo”.

Pensando em aprofundar ainda mais a relação jovens-cooperativismo, o sistema OCERGS Sescoop/RS, a partir da plataforma Geração Cooperação, realizou uma pesquisa com jovens associados e empregados de cooperativas, do Interior e da Região Metropolitana do Rio Grande do Sul. O objetivo da pesquisa foi entender a relação dos jovens com esse sistema e resultou em indicadores interessantes e otimistas sobre a interação desse público-alvo com o cooperativismo.

O estudo reuniu, no total, 401 jovens, de 16 a 34 anos. A partir dos resultados, foi possível identi­ficar e descrever características e comportamentos de jovens associados ou empregados de cooperativas, em relação à perspectiva de carreira e ao mercado de trabalho. A pesquisa mostrou que o que está por vir no cooperativismo são jovens empolgados por fazer acontecer. O resultado vai ao encontro do que acredita Vergílio. “A participação dos jovens é crescente e otimista. São eles que vão garantir o futuro do cooperativismo”

Além disso, os respondentes mostraram muita vontade de aprender. O grande envolvimento e a dedicação dessa geração refletem-se nos investimentos por eles realizados. Mais de 70% dos jovens apontam já ter feito cursos de capacitação. A conciliação do estudo com o trabalho é outro aspecto que mostra que a nova geração se insere no mercado de trabalho para fazer a diferença.

Quanto à relação dos jovens com o cooperativismo, o estudo mostra que a união é estável e a nova geração é engajada. Sobre essa questão, Vergílio ressalta que os jovens, ao entrarem em contato com o mundo cooperativo, garantem mais conhecimento e experiência. “Eles pensam no futuro, representam uma forte liderança”. Dedicação e lealdade caracterizam os jovens, que mostram a vontade de construir suas carreiras dentro de cooperativas.

A principal difi­culdade se resume à comunicação. A nova geração percebe que a transmissão de informações, muitas vezes, difi­culta o diálogo com o público-alvo, o que nos leva de volta à inovação e ao pioneirismo do sistema OCERGS Sescoop/RS, ao criar a plataforma totalmente pensada para esse público.

Jovens que crescem engajados no cooperativismo acabam engajando seus colegas. O presidente acredita que projetos escolares são importantes para fomentar, desde cedo, o conhecimento sobre cooperativismo. Devido a isso, o Sistema OCERGS também conta com outras ações voltadas ao público jovem: a Faculdade de Tecnologia do Cooperativismo (Escoop) e o Programa Aprendiz Cooperativo.

Vergílio ­finaliza destacando que é preciso dar cada vez mais espaço aos jovens nas cooperativas, principalmente agora, que é tempo de se reinventar. “Quando acabar a pandemia, não terá lugar para quem não dominar as tecnologias. O jovem pós-pandemia terá muito espaço no cooperativismo, pois são uma geração digital”, ressalta o presidente, que acredita que a juventude é o futuro do cooperativismo.

Abrindo portas para futuros cooperadores

Programa Aprendiz Cooperativo: a ação busca contratar estudantes de 14 e 24 anos para atuar em mais de 100 cooperativas gaúchas. Além de ensinar uma pro­fissão, o objetivo é fazer com que o jovem entre em contato com a cultura cooperativista desde cedo.

Escoop: a Faculdade de Tecnologia do Cooperativismo oferece cursos abertos de graduação, pós-graduação e extensão para empregados e associados de cooperativas do RS. O objetivo é atender às demandas de quali­ficação das cooperativas.