Salton: Um brinde a 110 anos de história
CONTEÚDO PATROCINADO

 

Salton: Um brinde a 110 anos de história

Com crescimento de 70% na última década, vinícola de Bento Gonçalves celebra aniversário com investimentos na viticultura, ampliação do portfólio de produtos, consolidação da liderança na venda de espumantes e o desbravamento do mercado externo

Correio Mais Conteúdo

Imponente sede da Salton, em Bento Gonçalves. Vinícola comemora 110 anos de história neste mês de agosto

publicidade

A Salton chega acelerada aos 110 anos. Com crescimento de 70% na última década, a vinícola de Bento Gonçalves completa o período marcada pela expansão da viticultura de precisão, a ampliação do portfólio de produtos, a consolidação da liderança na venda de espumantes e o desbravamento do mercado externo.

Aos investimentos em tecnologia de produção, iniciados ainda na década de 1980, seguiram-se os aprimoramentos nas áreas de viticultura e enologia, com a colaboração de consultorias estrangeiras; o pioneirismo nos vinhos finos com a linha Classic, de 1999; a introdução do prosecco no Brasil e dos primeiros tintos nobres de padrão internacional, como o Salton Talento, a partir de 2004; a rastreabilidade da matéria-prima e o cultivo de vinhedos próprios na região da Campanha; e a profissionalização da empresa, comandada hoje pela quarta geração à frente da companhia.

Em 2019, a marca que lidera o mercado nacional de espumantes há 15 anos chegou ao posto de número 1 entre as marcas de vinhos mais reconhecidas no Brasil (segundo a Wine Intelligence, pesquisa Global Wine Brand Power), entre nacionais e estrangeiras, e conquistou destaque no renomado concurso francês Effervescents Du Monde. Neste mesmo ano, também inaugurou sua Enoteca, em SP, espaço onde recebe clientes para experiências em torno do vinho. Nessa trajetória intensa, iniciada por Paulo Salton e irmãos em 1910, evidenciam-se episódios que demonstram resiliência e capacidade de inovação. Uma saga empreendedora intrinsecamente ligada à história do vinho no país. 

“Ao longo desses 110 anos, principalmente a última década, passamos a olhar para o processo de forma mais especializada”, diz Maurício Salton, diretor-presidente da Salton. “Redefinimos padrões técnicos, modernizamos estruturas, qualificamos fortemente nossa gestão e o principal: buscamos diariamente fazer a diferença na vida das mais de 1,5 mil pessoas que, de alguma forma, estão diretamente envolvidas com a Salton, seja promovendo o seu desenvolvimento ou apoiando as iniciativas sociais.” 

Mercado

Na última década a Salton vem se firmando como uma empresa com diferentes frentes de negócios, incluindo bebidas não-alcoólicas, destilados e empreendimentos com enfoque turístico. A empresa encerrou 2019 com 36,8 milhões de garrafas vendidas e um crescimento de 17,5% no faturamento em relação ao ano anterior. É líder de vendas de espumantes nacionais com 33% de market share, segundo a Nielsen. Desde 2017, contando com uma equipe local nos EUA, as exportações crescem continuamente. Em 2019 foram embarcadas mais de 1 milhão de garrafas para 20 países.

Legado social

Ao longo de 110 anos de história – comemorados neste mês de agosto –, a Família Salton firmou suas bases e marcou forte presença tanto no Sudeste, nas cidades de Jarinu e São Paulo capital, quanto no Rio Grande do Sul, nos municípios de Bento Gonçalves e Santana do Livramento. A companhia sempre dedicou atenção a essas cidades por meio de um olhar especial para as necessidades sociais locais das comunidades. 

Como forma de retribuir a receptividade e confiança que sempre teve, a empresa lança a campanha Legado Social, projeto que busca auxiliar instituições beneficentes nestes quatro municípios. Junto com parceiros que fazem parte de sua trajetória, a Salton doará, nesta terça-feira, R$ 200 mil em ações às 16 entidades selecionadas. O valor será convertido em cestas básicas para alimentação e higiene, além de material escolar e melhorias estruturais nas áreas da saúde e segurança. 

Apesar de o dia de hoje marcar o ponto alto da comemoração, desde o dia 17 deste mês já estão sendo destinados ao projeto Legado Social 100% do valor dos rótulos Giornata, Salton Ouro Brut, Intenso Malbec e chás vendidos na Enoteca Família Salton, em São Paulo, e na loja de vinhos junto à sede da Vinícola, em Bento Gonçalves.

Em São Paulo serão contempladas as entidades Grupo Ciranda, Mesa Solidária e o Instituto de Tratamento do Câncer Infantil (Itaci). Em Jarinu, interior paulista, os beneficiários são o Abrigo Raio de Luz, o Lar Eduardo Ferrara e o Lar dos Idosos – Cidade Vicentina.

Já no Rio Grande do Sul, as entidades contempladas em Bento Gonçalves são a ADVBG, a Paróquia Santo Antônio, o Lar Lucchese, a Conserpro e a Ceacri. Por fim, em Santana do Livramento, receberão as doações a Apae, o Lar da Velhice Mario Motta, a Assandef, o Lar da Infância Daniel Albornoz e a Santa Casa de Misericórdia.

Documentário

A Salton decidiu compartilhar mais que bons brindes com o seu público e lançou o documentário “Família Salton 110 anos – Um Legado como Destino”. A produção, assinada pela Vagão Filmes e dirigida e roteirizada pela Mundo Mesa Produções, apresenta depoimentos emocionados de personagens importantes na trajetória da marca. Muitas memórias, evolução dos produtos e cultura local foram resgatados.

“Ao contar uma história com o nosso olhar compartilhamos nossas experiências e assim é natural expressarmos paixão, que pode ser percebida na voz embargada, no sorriso espontâneo e na lágrima contida”, diz Luciana Salton, diretora-executiva da companhia e responsável por coordenar o projeto. A chegada de Antonio Domenico Salton em Bento Gonçalves é o ponto de partida da narrativa, que prende o espectador ao descrever com leveza o desenrolar do tempo.

 

Linha do tempo

Em 1878, Antonio Domenico Salton, natural de Cison di Valmarino, região italiana do Vêneto, desembarca no Brasil. Instalou-se na colônia Dona Isabel (hoje Bento Gonçalves), onde casou-se com a também imigrante Lucia Canei, com quem teve dez filhos. Em 1884, fundaram uma “casa di pasto”, em frente à Igreja Matriz. Ali hospedavam viajantes, serviam refeições e comercializavam queijos e embutidos. O vinho era produzido com uvas colhidas nas parreiras nos fundos da instalação.

Paulo Salton, o filho mais velho de seu Antonio e dona Lucia, assume o negócio da família após o falecimento do pai. No ano de 1910, a “casa di pasto” é formalizada e, em 1922, passa a se chamar “Paulo Salton e Irmãos”. Os já empreendedores irmãos José e Cesar decidem levar os negócios da família para a cidade de São Paulo, já naquela época o principal centro econômico na América Latina e, no ano de 1948, inauguram ali uma unidade da Salton. 

A vocação da família se deu alguns anos antes, em 1933, quando iniciou-se a elaboração de espumantes. Sob orientação do pároco local, em 1940, Antonio “Nini” Salton, o primeiro enólogo da família, elabora o Vinho Canônico, seguindo a receita do Vaticano. Até hoje é elaborado e distribuído, fazendo parte das liturgias em igrejas de todo o Brasil. Após o falecimento de Paulo, a empresa se torna “Vinhos Salton S/A - Indústria e Comércio Ltda.”, em 1967 e, depois, “Vinícola Salton S.A.”.

Na década de 1960, a Salton torna-se fornecedora oficial da Presidência da República com o Presidente, um dos primeiros vinhos brancos a ter destaque nacional. Jânio Quadros, em 1961, proferiu: “o vinho Presidente é meu vinho”. A década de 70 traz dificuldades à vitivinícola brasileira, com menor estrutura do que as multinacionais. Com isso, a produção no RS permanece retraída. A estratégia adotada é voltar-se ao tradicional Presidente, em produção até hoje em SP.

A elaboração de vinhos finos começa em 1999, com a linha Classic. Sob a liderança de Angelo Salton Neto, a produção volta-se para a alta qualidade, com eficiência e padrões internacionais. Em 2004 uma nova planta produtiva com tecnologia de ponta é construída em Bento Gonçalves, e o vinho Salton Talento (safra de 2002) é eleito o melhor tinto do ano. O sucesso abre espaço para outros vinhos da categoria, como Salton Desejo Merlot e o Salton Virtude Chardonnay.

A tradição permeia todos os processos de produção da Salton, o que garante a essência de seu trabalho, com a preocupação ao elaborar vinhos e espumantes de uma pequena vinícola familiar, dentro de uma grande e moderna empresa. A partir do ano de 2005, a Salton assume a liderança no mercado de espumantes nacionais comercializados em todo o Brasil, segundo auditoria da Nielsen Media Research, uma grande conquista que se mantém até os dias de hoje.

Sob a gestão de Daniel Salton, se iniciam as atividades na Azienda Domenico, na Campanha Gaúcha. Com 120 hectares de vinhedos próprios, cultivados em espaldeira e colheita mecanizada, passa a contar com uma unidade para processamento da primeira etapa da vinificação, garantindo o transporte da matéria-prima em perfeitas condições. O projeto Terroir Salton firma parceria com 40 produtores rurais do RS, estabelecendo padrões de excelência no cultivo e manejo.

Com o objetivo de explorar as oportunidades no crescente mercado de destilados, a unidade Salton da capital de São Paulo, fundada no ano de 1948 pelos irmãos José e Cesar Salton, é transferida para o município de Jarinu, no interior do estado paulista. Nessa nova planta piloto, responsável pela produção de destilados, novos caminhos passam a ser abertos para o desenvolvimento de outros produtos, além do tradicional vinho Presidente, ainda em produção.

A diversificação do portfólio se torna um diferencial estratégico, com o lançamento de uma vodka e posteriormente de um gin, na nova unidade de Jarinu, no estado de São Paulo. No Sul, passam a ser elaborados os exclusivos chás gelados com suco de uva, da linha Grape Tea Salton, evidenciando a capacidade de inovação da empresa, além da confiabilidade da marca perante o mercado, ressaltando o reconhecimento de seus produtos perante os consumidores.

Maurício Salton, da 4ª geração da família, assume a liderança da companhia ao lado de um quadro de diretores jovens e profissionais. Aliar a tradição ao dinamismo se torna o principal desafio. A partir do desenvolvimento técnico, tanto na viticultura quanto no domínio de modernos processos enológicos, surge Domenico, a primeira marca conceito. São rótulos singulares, edições especiais e limitadas que expressam a essência da região de origem dos seus frutos. 

Torna-se a 1ª e única marca nacional a conquistar o top 1 no ranking Wine Brand Power, abre as portas da exclusiva Enoteca Família Salton, em SP, e exporta 800 mil garrafas de espumantes para 25 países, liderados pelos EUA. Em 2020, Gregório Salton, da 4ª geração da família, assume a Diretoria Técnica, juntando-se aos então diretor-presidente Maurício Salton, diretora executiva Luciana Salton, diretor comercial Cleber Slaifer, diretor industrial Marcos Flamia e diretor administrativo Marcelo Lucchese. 

 

Fotos de Eduardo Benini, Daniela Radavelli, Gilliard Bressan, Emerson Ribeiro, Augusto Tomasi, Divulgação Salton e Reprodução Salton


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895