Máscaras africanas são tema de estudo em escola de Santo Ângelo

Máscaras africanas são tema de estudo em escola de Santo Ângelo

Alunos tiveram a oportunidade de materializar o que foi aprendido em aula

COLABORE

Material reciclável foi utilizado na produção das máscaras

publicidade

As civilizações africanas foram tema de estudo dos alunos do 7º ano da Escola da URI Santo Ângelo. Na disciplina de história, os estudantes tiveram contato com a cultura africana de uma forma diferente.

A proposta da professora Valesca Falcão Sortéia foi que os alunos produzissem máscaras baseadas no que foi aprendido durante as aulas. “Sempre que vou trabalhar com o Ensino Fundamental, busco a ludicidade como ferramenta pedagógica. Acredito que no momento em que o aluno materializa sua aprendizagem, ela se torna mais significativa”.

O principal objetivo foi valorizar um símbolo muito marcante desses povos, considerando que a máscara, além de ser usada em muitas cerimônias religiosas, tinha também a finalidade de proteção do lar. O conteúdo não ficou restrito apenas as antigas civilizações. Durante o estudo também foi abordada a importância das culturas que formaram o povo brasileiro, entre elas a africana. "A questão principal, foi mostrar para eles que não existe cultura inferior ou superior, mas apenas culturas diferentes”, destaca a professora.

A aula sobre as civilizações africanas ocorreu em maio, período em que os alunos estão acompanhando as aulas de forma digital. “Nossa escola buscou novas ferramentas para nos conectarmos. O Google Meet é um deles, onde podemos interagir como os alunos, o que tornou possível a atividade da produção das máscaras”, explica Valesca. Para fomentar a conscientização ambiental, os alunos utilizaram material reciclável para produzir as máscaras, como garrafas pet e jornal.


publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895