Amigos do Guerrero vencem amistoso do Lance de Craque no Beira-Rio
capa

Amigos do Guerrero vencem amistoso do Lance de Craque no Beira-Rio

Placar da partida terminou em 8 a 5 contra os amigos de D'Alessandro

Por
Correio do Povo

D'Alessandro comandou a festa no estádio Beira-Rio

publicidade

O amistoso beneficente Lance de Craque, em que a solidariedade é a principal protagonista, foi vencido pelo Amigos do Guerrero por 8 a 5 contra os Amigos de D'Alessandro. A partida foi realizada na tarde deste sábado no Beira-Rio. O evento reuniu mais de 15 mil pessoas. 

A parceria entre D'Ale e Taison foi reeditada / Foto: Ricardo Giusti 

A partida reuniu estrelas de diversos lugares e times. Algumas figurinhas carimbadas participaram da festa. Entre elas estavam Alex, Perdigão, Rafael Sobis, Taison, Loco Abreu e Danrlei. Perdigão inclusive foi ovacionado pelos torcedores que estiveram na casa do Inter para testemunhar a reunião de estrelas do esporte. O jogo valeu também como apenas um "esquenta" para Eduardo Coudet, que pela primeira vez esteve na casamata do Beira-Rio. Ele comandou o time de D'Alessandro. 

Disputada sob intenso sol e forte calor, a primeira etapa esteve marcada pela superioridade do time 'Solidariedade'. Apostando na genialidade de seus muitos gringos, abusando do entrosamento da dupla Taison e D'Alessandro, a equipe abriu o placar com Recoba, que conseguiu a proeza de encobrir Dida, reeditando embate que marcou época no futebol italiano no início deste século, quando o uruguaio vestia as cores da Internazionale, e o arqueiro do Milan.

Logo depois, foi a vez de o "Esperança" responder com seu conjunto de latino-americanos: do argentino Sorín a bola chegou ao peruano Guerrero, que deixou o boliviano Marcelo Moreno de frente para Taffarel. Empate, que pouco durou, pois El Cabezón aprontou das suas e marcou um golaço de canhota. Logo depois, Taison, como sempre à vontade no relvado que lhe serve de casa, ampliou.

Antes do intervalo, Guerrero voltou a brilhar. Primeiro, com nova assistência, desta vez para Bruno Guimarães. Depois, estufando as redes. Nova igualdade, também efêmera, já que, a minutos do apito que encerraria a etapa inicial, Heitor foi ao fundo e cruzou rasteiro para Forlán marcar o quarto. O tento foi o primeiro do uruguaio, que já havia marcado no Beira-Rio antes da reforma e nos estádios Centenário e do Vale, no remodelado Gigante.

Na segunda etapa, o domínio do jogo mudou de lado. Honrando sua tradicional perseverança, comprovada inclusive em ditados populares, a Esperança empatou com Sobis. Logo depois, os amigos de D'Alessandro retomaram a frente com Ruben Paz cobrando pênalti, mas o gol, quinto da equipe, seria também o último dos convidados do argentino. Loco Abreu, duas vezes, Sobis e Alex, depois de receber assistência de Fabi Simões e marcar golaço de canhota, deram números finais ao placar, consagrando partida que, muito mais por seu significado do que escore, finalizou, com chave de ouro, o ano de 2020 na casa colorada.

Toda a renda da partida será revertida em doações para quatro instituições. No caso, a Associação Cristã de Moços (ACM), o Centro de Educação Profissional Calábria, a Associação Beneficente Santa Zita de Lucca e a Associação Sol Maior.