Anvisa aciona PF para barrar atletas argentinos de partida contra Brasil
patrocinado por

Anvisa aciona PF para barrar atletas argentinos de partida contra Brasil

Agência confirmou que quatro jogadores deram declarações falsas e descumpriram protocolo para entrar em território nacional

R7

Titular da seleção, Giovani Lo Celso é um dos nomes

publicidade

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) confirmou, neste domingo, que quatro jogadores da seleção de futebol da Argentina descumpriram a regra para entrada de viajantes em solo brasileiro, sem passar por quarentena dentro dos protocolos de controle da covid-19. Por isso, deverão ser retirados do jogo de hoje e poderão ser deportados.

Os atletas são Emiliano Martínez e Emiliano Buendia, ambos do Aston Villa, e Giovani Lo Celso e Cristian Romero, do Tottenham. Eles fazem parte da delegação que chegou para participar do jogo entre Brasil e Argentina, neste domingo, às 16h, válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022.

Os jogadores, segundo a Anvisa, declararam não ter passagem por nenhum dos 4 países com restrições nos últimos 14 dias. Reino Unido, África do Sul, Irlanda do Norte e Índia estão entre os países nos quais viajantes estão impedidos de ingressar no Brasil sem a quarentena.

Segundo a Anvisa, os atletas argentinos descumpriram a portaria 655/2021, que, em seu artigo 8o, avisa que "o descumprimento do disposto nesta Portaria implicará, para o agente infrator: I - responsabilização civil, administrativa e penal; II - repatriação ou deportação imediata; e III - inabilitação de pedido de refúgio."

Os jogadores chegaram ao Brasil em voo de Caracas, na Venezuela, com destino a Guarulhos, após a Argentina vencer a Venezuela, por 3 a 1. Na ocasião, a agência recebeu informações não oficiais a respeito de declarações falsas prestadas pelos atletas.

A diretoria da Anvisa, então, se reuniu com representantes do Ministério da Saúde e com a Coordenação de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e, conforme informou a entidade hoje, confirmou que os atletas descumpriram as normas.

A entidade acionou a PF (Polícia Federal) e há possibilidade de os jogadores serem impedidos de atuar na partida deste domingo. A agência avisou que há "risco sanitário grave" e, por isso, "orientou às autoridades em saúde locais a determinarem a imediata quarentena dos jogadores, que estão impedidos de participar de qualquer atividade e devem ser impedidos de permanecer em território brasileiro, nos termos do art. 11, da Lei Federal nº 6437/77".

"Diante da confirmação de que as informações prestadas pelos viajantes eram falsas, a Anvisa esclarece que já comunicou o fato à Polícia Federal, a fim de que as providências no âmbito da autoridade policial sejam adotadas imediatamente", informou nota da Anvisa. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895