Atlético-GO e Santos empatam em jogo fraco e "estacionam" no Brasileirão
patrocinado por

Atlético-GO e Santos empatam em jogo fraco e "estacionam" no Brasileirão

Equipes seguem ameaçadas pela zona de rebaixamento

AE

Duelo foi válido pela 32ª rodada do Brasileirão

publicidade

Atlético-GO e Santos entraram em campo neste sábado precisando da vitória, já que ambos seguem ameaçados pela zona de rebaixamento do Brasileirão. O resultado, porém, não agradou a nenhum deles. Afetado pela chuva, o gramado ficou ruim, as duas equipes não conseguiram produzir e ficaram no 0 a 0 em partida válida pela 32ª rodada da competição.

A água proveniente da forte chuva em Goiânia teve muito impacto na partida deste sábado. Primeiro, forçou a equipe de arbitragem a retardar o apito inicial em 10 minutos para tentar fortalecer a drenagem da grama. Alguns funcionários tiveram de usar rodos para melhorar a situação. Além disso, os árbitros tiveram de trocar de uniforme pois estavam coincidindo os cores com Fernando Miguel.

A condição climática foi determinante para o resultado final. O lado direito do campo ficou bastante comprometido pela água e as duas equipes tiveram dificuldades em criar pelo setor. A bola ficou escorregadia, houve pouca técnica e os jogadores patinaram em quase toda jogada.

O jogo começou pegado, mas sem perigo de fato. Logo no início deu para notar que a partida seria prejudicada. Houve pouco controle de bola e a armação de jogadas os contra-ataques ficaram comprometidos para os dois times. As defesas também tiveram entradas duras. A primeira finalização de fato aconteceu aos 24 minutos, com Moraes. Fernando Miguel apenas assistiu a bola sair pelo lado direito do gol, sem maiores perigos.

O Atlético-GO ganhou uma falta perigosa na entrada da área aos 36 minutos. Gabriel Pirani, em disputa de bola, derrubou Marlon Freitas de forma ilegal na meia lua. De perna esquerda, André Luis bateu no canto esquerdo, mas João Paulo encaixou a bola nos braços com segurança.

Aos 43, Ângelo foi derrubado e ganhou boa falta para o Santos na ponta esquerda da grande área. A bola cruzou a área à meia altura com bastante perigo. Diversos jogadores santistas se esforçaram para desviar, mas Danilo Boza foi quem teve a melhor chance na segunda trave. Ele usou o pé direito para finalizar, o que acabou sendo uma decisão errada. A bola morreu na linha de fundo do Atlético-GO.

Os dois times voltaram dos vestiários com mudanças. Wanderson, com dores, deu lugar a Oliveira, enquanto que Fábio Carille promoveu Raniel no lugar de Pirani para ter um homem a mais na área atleticana. Marcos Guilherme levantou na área em cobrança de escanteio aos 9 minutos, a bola ficou viva na pequena área, mas a defesa afastou.

O jogo continuou a seguir o roteiro da primeira etapa, com o Atlético-GO um pouco melhor e se mostrando um pouco mais ameaçador. Porém, em todas as oportunidades, a defesa do Santos se fez presente. Marcelo Cabo tentou mudar seu time com algumas substituições querendo matar o jogo em casa. Aos 27, os mandantes conseguiram boa oportunidade em cobrança de falta no canto da área, mas João Paulo ficou com ela.

Carille também mudou. Lacava e Carlos Sánchez entraram para as saídas de Marcos Guilherme e Zanocelo, respectivamente. As alterações visavam o maior controle de bola no meio. Mas, quase que o técnico paulista tem de rever sua estratégia. Aos 29, em uma excelente chance de abrir o placar, Ronald venceu o marcador e bateu cruzado após contra-ataque. A bola passou rente à trave do arqueiro santista.

O Atlético começou a pressionar bastante no fim, restando ao Santos tentar aproveitar os contra-ataques. Mas, o jogo não saiu do zero a zero. Com o resultado, o time paulista fica na 11ª colocação com 39 pontos. O Atlético-GO é o 14º, somando 38 pontos.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895