Atlético-MG goleia Vasco por 4 a 1 e abre margem na liderança do Brasileirão
patrocinado por

Atlético-MG goleia Vasco por 4 a 1 e abre margem na liderança do Brasileirão

Time mineiro saiu atrás no placar, mas controlou inteiramente a partida e foi aos 27 pontos no campeonato

AE

Todos gols do jogo saíram no primeiro tempo

publicidade

Dono do maior jejum de títulos do Campeonato Brasileiro entre os times que já ganharam a competição, O Atlético-MG, do técnico Jorge Sampaoli, mostra cada rodada que poderá quebrar esta sequência negativa que dura desde 1971. Um exemplo disso foi a vitória, por 4 a 1, de virada, neste domingo à noite, no Mineirão, frente ao Vasco, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro, com todos os gols marcados no primeiro tempo.

Com mais uma vitória, a nona em 12 jogos, o Atlético soma 27 pontos, cinco a mais que Internacional e Palmeiras, os rivais mais próximos na classificação. Já o vasco permanece com 18 e está em nono lugar na tabela.

O primeiro tempo fez lembrar o ditado que diz "cutucar onça com vara curta". Logo aos oito minutos, o Vasco aproveitou uma falha do zagueiro Rever para abrir placar. No recuo de bola pelo alto, Benítez matou no peito e acertou linda bicicleta.

O lance parece ter mexido com os brios dos jogadores comandados por Jorge Sampaoli, que imprimiram um ritmo alucinante durante toda a primeira etapa. Foram inúmeras oportunidades, não deixando tempo para que o rival carioca respirasse.

Aos 13, Nathan recebeu dentro da área e rolou para Arana bater forte e rasteiro. A virada veio quatro minutos depois. Keno forçou a jogada pela esquerda e Savarino mostrou oportunismo para definir: 2 a 1. Em ritmo alucinante, Nathan é derrubado por Carlinhos dentro da área. Pênalti bem cobrado por Guga e vantagem ampliada, aos 26 minutos.

O problema maior enfrentado pelo Vasco é que os times de Sampaoli não se satisfazem em vencer. Eles precisam buscar cada vez mais. Ramón até tentou mudar o jeito do time de São Januário jogar e trocou Carlinhos e Vinícius por Yago Pikachu e Marcos Júnior. Mas não deu sorte.

Logo em seguida, Castán derrubou Alan Franco. Desta vez, o autor da cobrança foi Keno, um dos melhores em campo mais uma vez: 4 a 1, aos 36 minutos.

O Vasco voltou para o segundo tempo com a missão de diminuir o prejuízo. O jogo ficou mais disputado no meio de campo e o Atlético aceitou o desespero do rival, ao passar a jogar nos contra-ataques.

Bem armado, o time mineiro foi mais perigoso e criou duas oportunidades, desperdiçadas por Nathan e Arana. Os lances tiraram o entusiasmo vascaíno e Sampaoli, ao perceber, passou a alterar a equipe em busca de força física para impedir qualquer tipo de reação do rival, que ainda perdeu Andrey expulso, aos 14 minutos.

Um ponto que chama a atenção nos times treinados por Sampaoli é a qualidade nas finalizações. A maioria dos disparos de seus jogadores é bem feita. Um exemplo foi a bomba de Allan, da entrada da área, que acertou o travessão de Fernando Miguel, aos 32 minutos.

O final do jogo mostrou um Vasco frustrado, diante de um Atlético-MG sólido e sabedor de sua força. Capaz de quatro gols em um tempo.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895